quarta-feira, 31 de maio de 2017

Cultura Japonesa! Noshibukuro – Costume dos Envelopes de Dinheiro Japonês Oferecidos em Ocasiões Importantes


No Japão, oferecer um envelope com uma certa quantia de dinheiro em determinadas ocasiões é um costume bastante frequente. Mas, para aqueles que não estão tão familiarizados com essa tradição, essa prática pode suscitar algumas dúvidas. Então, vamos entender um pouco sobre esse assunto. Estes envelopes são chamados de Kinpuu Noshibukuro [金封 のし袋], que se traduz como Envelope de Selo Dourado. Eles são dobrados artisticamente e decorados com Mizuhiki, um tipo de cordão japonês feito com papel washi.

Os envelopes (noshibukuro – 熨斗袋) e os papéis que envolvem os presentes (noshigami – 熨斗紙) trazem no alto à direita um pequeno desenho, às vezes em papel destacado, em cujo interior há uma tira de folha amarela chamada tanzaku(短冊 ), que é a simbolização de um molusco chamado haliote, awabi ((鮑) em japonês). Daí ser conhecido como noshiawabi (junção de awabi e o verbo nosu (熨す) – empurrar, esticando com o calor, como o ato de passar roupa).

De fato, esse pequeno artesanato de awabi acabou sendo utilizado como presente que se oferece quando se quer comemorar e congratular (engimono –縁起物 ) e como oferenda aos deuses (shinsen –神饌 ).

Os envelopes ou presentes traziam então, grudadas, pequenas conchas ou fatias finas da carne do awabi, desidratadas e esticadas com gravetos de bambu e depois, como o nome sugere (verbo nosu), “passadas” e unidas com ferro quente. O tempo e a modernidade se encarregaram de substituir o produto natural como símbolo de longevidade e congratulações, mas permaneceu a ideia original, razão porque os envelopes de cerimônias fúnebres ou de momentos graves ou sérios, não trazem o noshiawabi, hoje mais conhecido como noshibukuro (envelope) ou noshigami (papel que envolve o objeto).

Pode ser dado como presente ou para ajudar no pagamento de despesas, quer seja de cerimônia de comemoração festiva ou fúnebre. O oferecimento envolve sempre respeito e consideração e deve ser procedido segundo etiqueta própria. Em ocasiões festivas a quantidade de notas, geralmente 5, 7 ou 9 é para que, como no matrimônio, não se divida em dois, não se separem.

Os laços dos envelopes chamados mizuhiki (水引)também variam segundo a ocasião e têm significados diferentes. Em cerimônias festivas os laços são feitos com cordões brancos e vermelhos ou dourados e prateados. Nas cerimônias fúnebres, os budistas usam o branco e o preto, ou branco e azul. O branco deve ficar sempre à esquerda. Os xintoístas usam ambos brancos ou prateados. Os cristãos geralmente nada usam; quando o fazem, ambos os cordões são prateados.

Não dispondo de envelope apropriado, (no comércio encontram-se à venda envelopes com mizuhiki e noshigami já impressos os motivos), usa-se o branco e nele se fazem as inscrições.

Do original cordão branco e vermelho no período Asuka, no ano 607, a habilidade dos artesãos transformou os simples laços em criações artísticas incorporando à sua obra motivos de bom agouro na cultura popular.

Existe um tipo de Kinpuu Noshibukuro pra cada tipo de ocasião, como noivados (Kon’yaku wa), casamentos (Kekkoni wa), nascimentos (Shussai wa), funerais (Okouden), para alguém que esteja doente (Omimai) e os de agradecimentos que são dados especialmente em julho/agosto (Ochuugen) e em dezembro (Oseibo).

Tem o envelope dado às crianças durante o Ano Novo (Otoshidama), no 1º dia de aulas (Nyuugakuiwa) e também para crianças e jovens que estejam terminando uma etapa da escolaridade, como primário, secundário, universidade (Sotsugyouiwa). Por isso, é preciso tomarmos muito cuidado para não entregar o Kinpuu errado.Os envelopes Kinpu Noshibukuros podem ser encontrados em formas mais simples a formas mais elaboradas e os preços variam de acordo com sua decoração.

Os mais simples são bem baratos e podem ser encontrados facilmente em lojas de departamento, papelarias, Hakuen Shops e até em lojas de conveniência.

Quanto ao valor a ser colocado dentro do envelope também depende do tipo de ocasião e da disponibilidade financeira de quem vai presentear, podendo variar de 10 mil ienes a milhões de ienes. No site Mizuhikiya, podemos encontrar vários Kinpuu belíssimos, com design que incluem os tradicionais aos menos convencionais. Dentre os projetos menos convencionais encontrados no site, tem o Urso Teddy, Hello Kitty, Iguana, peixinhos, flor de lótus, estrela, e muitos outros envelopes com criativas decorações feitos com Mizuhiki (cordão de papel washi).

Ocasiões comuns para oferecer envelopes com dinheiro:

Gokekkon iwai (ご結婚祝い) ou Goshuugi (ご祝儀): Em casamentos. É uma contribuição para aqueles que estão começando uma vida a dois. Este presente representa o desejo de boa sorte e as bençãos do doador. Tradicionalmente, as cédulas devem ser novas e, se possível, que nunca tenham circulado antes.

Otoshidama (お年玉): No ano novo, os pais ou outros familiares costumam dar dinheiro às crianças.

Nyuugaku iwai (にゅうがく いわい): No primeiro dia de aula.

Sotsugyou iwai (そつぎょう いわい): Quando termina uma etapa de escolaridade (primária, secundária ou universidade).

Shussan iwai (しゅっさん いわい): Para aqueles que estão prestes a se tornar pai ou mãe.

Oseibo (お歳暮): Em dezembro, em forma de agradecimento àqueles que te ajudaram de alguma forma. Presentear nesta época do ano é uma boa maneira das pessoas saberem o quanto você se importa com eles. 

Gokoden (ご香典 – ごこうでん): Em casos de falecimento e enterro. É dado à família do falecido como forma de ajudar nos gastos com a cerimônia e a cremação. O gesto possui o intuito de confortar, apoiar e solidarizar-se com os familiares.

O envelope, geralmente, é entregue a um parente próximo ao falecido. Outra prática comum é depositar o envelope ao lado da caixa de incenso ou do recipiente no qual se deposita as varetas de incenso. Ainda em alguns casos, onde há uma mesa de recepção, o gokoden pode ser entregue neste local. Tradicionalmente, as cédulas devem ser velhas pois, notas novas dão impressão de que a morte era esperada.

Um envelope também pode ser oferecido nas cerimônias em homenagem ao falecido. O mais comum é ofertar certa quantia de dinheiro na missa de 49 dias. Isso demonstra apreço ao falecido e compaixão à família. Na missa de 49 dias, é de costume que se retorne o gesto entregando alguma lembrança aos convidados.

Omimai (御見舞い- おみまい): A um parente ou amigo que está se recuperando de uma doença. Possui a intenção de encorajar, confortar e solidarizar. O dinheiro destina-se a ajudar a pagar as despesas médicas e os remédios.

Orei (お礼): Para agradecer a alguém por uma grande ajuda ou favor.

Em todos os casos, o valor ofertado varia conforme a proximidade que se tem com a pessoa, a condição financeira de quem vai dar o presente e a ocasião. E, de acordo com a tradição e etiqueta japonesa, é de bom tom que, depois de receber um envelope com dinheiro, retribua-se de alguma forma, com exceção do otoshidama e do orei. Este presente de agradecimento chama-se okaeshi.

Este costume é mais comum para casos de doenças, funerais, casamentos e nascimentos. E, de modo geral, a retribuição não é em dinheiro. Por exemplo, no caso do gokoden, é comum serem entregues toalhas ou algum outro item para casa, sempre embrulhados devidamente.

Tipos de envelopes de dinheiro:

O dinheiro deve ser colocado em envelopes especiais e próprios para cada situação, chamados de kinpuu (金封 – きんぷう) ou noshibukuro (のし袋). No Japão, os envelopes podem ser encontrados em locais como supermercados, papelarias e lojas de conveniência japonesa.

A decoração dos envelopes é composta pelo mizuhiki, um tipo de cordão feito com papel washi e, dependendo da ocasião, pelo noshi (dobradura que remete à ostra awabi, que indica longevidade e proteção).

Tradicionalmente, o envelope leva o nome de quem está entregando-o, o omotegaki(inscrição que varia de acordo com a ocasião e a religião) e o valor ofertado.(Crédito: Divulgação)

As cores dos fios e a forma como eles são amarrados, indicam para qual finalidade o envelope é destinado. 


Fios de cores ouro e prata são indicados para casamentos. Branco e vermelho são utilizados para outras ocasiões felizes. Branco e preto ou prata são destinadas à falecimentos.

Os três principais tipos de laços para envelopes são:

Hana musubi: Quando o envelope tem apenas um laço significa que pode ser facilmente desatado. É indicado para ser entregue em nascimentos ou quando uma criança é admitida em uma nova escola, pois são ocasiões que se deseja que ocorra novamente


Musubi-kiri: Quando o envelope tem 2 laços, sendo que o segundo nó não pode ser desatado é indicado para casamentos e funerais, pois são coisas que queremos que não ocorram novamente.

.

Awaji musubi: Representa o desejo de um bom e longo relacionamento entre as pessoas. É utilizado tanto para eventos felizes quanto tristes.

.

No Brasil, muitas famílias de descendentes de japoneses também seguem a tradição de presentear com dinheiro, embora muitos dos costumes tenham se tornado mais flexíveis.

Por exemplo, ao invés de envelopes destinados especificamente a essa finalidade, são usados envelopes brancos simples. Há, ainda, versões de envelopes com o desenho dos cordões impressos, substituindo os fios feitos com cordões reais.


Exemplos de escritas de felicitação e agradecimento:

御 祝 儀 – goshugi – literalmente “cerimônias comemorativas” – oferecido por ocasião de celebração de cerimônias festivas individuais. É geralmente usado em casamentos.

御 祝 – oiwai – comemoração em geral de ocasiões festivas: casamento, promoção, inaugurações, ingresso em escolas, aniversários. É a forma usada quando se especifica o motivo. Por ex. otanjoubi iwai (御誕生日祝 -comemoração de aniversário), nyugakuiwai (入学祝– ingresso em escola).

御 礼 – orei – utilizado como agradecimento em geral, geralmente um serviço ou favor prestado. Se a gentileza é de natureza não eventual e constante, oferece-se uma vez ao final do ano ou um presente como oseibo.

御 餞 別 – osenbetsu – dinheiro ou presente oferecidos para ajudar a custear despesas de viagem ou mudança e conseqüente fixação na nova moradia.

御 歳 暮 – oseibo – dinheiro ou presente oferecidos no final do ano às pessoas que nos prestaram pequenos favores ao longo do ano.

卒 業 祝-sotsugyou-iwai – oferecido ao diplomado em curso.

開 店 祝いーkaiten iwai – oferecido em abertura de loja.

寸 志 – sunshi – “pequena intenção – pequeno donativo” – geralmente contribuição individual para atividades promovidas pela comunidade como gincanas familiares (undo-kai), festivais musicais (nodojiman-kai), festivais artísticos (engei-kai) etc. Não havendo motivo específico para a ocasião, cabe o uso dessa inscrição.

内 祝い– uchi iwai – “celebração em família” – inscrição utilizada em envelopes ou em presentes entre familiares.

席 料 –sekiryou – “para pagamento de assento” – o que se oferece para ajudar nas despesas de aluguel de sala de conferência, palestra, seminários etc.

酒 肴 料 – shuukouryou – “para o saquê e o peixe” – o que se oferece para pagamento de bebida e comida.

御 年 玉 – otoshidama – dinheiro ou presente oferecidos no Ano Novo, geralmente por avós aos netos.

Em visita a enfermos, pessoas em dificuldade ou visita de cortesia a alguém em pleno esforço:

御 見 舞– omimai – é donativo que se faz acompanhar de visita que se destina a encorajar, confortar, apoiar, solidarizar ou contribuir. Donativo que se faz com a intenção de ajudar nas despesas do tratamento ou recuperação do enfermo, reconstrução de algo destruído ou perdido ou no encorajamento e apoio a pessoas abaladas por situação incomum. Por ex, atletas em concentração, políticos em campanha, alguém em pleno esforço em atividade eventual, com algum problema pessoal ou atingido por alguma desgraça.

Nessas visitas pode-se levar também comida: frutas, doces, pratos preparados, com a intenção de que com boa alimentação o visitado recupere logo as forças. Para simples visitas sem motivo específico, é essa a alternativa utilizada. Alguns exemplos:

陣 中 見 舞 – jinchuu mimai – para alguém que está em plena concentração de esforços. Ex. político em campanha, atleta em competição.

楽 屋 見 舞 – gakuyamimai – “gaku ya – bastidores” – oferecido para cantores e artistas antes da apresentação.

火 災 見 舞 – kasaimimai – “kasai – incêndio” – para ajuda a vítima de incêndio.

水 害 見 舞 – suigaimimai – “suigai – danos provocados por inundação” – para ajuda a vítimas de inundação.

Em cerimônias fúnebres:

A quantia a ser oferecida nessas ocasiões é proporcional à proximidade com o falecido. Doar quantias altas é apenas para os mais próximos, unidos por laços de consanguinidade, profissional ou de amizade. Donativos altos para os não próximos é estranho para os japoneses; é estar “fora do lugar”, isto é, “fora da hierarquia em relação ao morto”. Alguns tradicionalistas supersticiosos evitam doar a quantia em notas em números de 3, 4 e 9. Diz-se que o 3 tem a mesma inicial demijime (miséria – 惨め ), o 4 a mesma pronúncia de shi (morte – 死 ) e o 9 tem a mesma inicial de kurou (sofrimento –苦労 ). O escrito deve estar de acordo com a crença religiosa do falecido e usa-se sempre o pincel japonês (fude –筆 ) e a tradicional tinta preta (sumi-墨). A tonalidade da tinta deve ser clara, tendendo para o cinza, mostrando que foi dissolvida pelas lágrimas; indica sobriedade, recato. Menos comum, mas pode ser preta, bem escura, indicando cuidado no preparo; significa alta consideração à família enlutada ou ao morto. Até o primeiro ano não se fazem os cumprimentos e os tradicionais enfeites de Ano Novo.

Os budistas costumam fazer a primeira missa no 7º dia do falecimento e após, em todos os dias múltiplos de sete até o sétimo (14º, 21º, 28º, 35º, 42º, 49º). Após, com exceção do 100º dia, todos os meses no dia do falecimento até completar um ano. Depois, faz-se após 1, 3, 7, 13, 17, 23, 27, 33 e 50 anos. Para as cerimônias os budistas contam os anos incluindo-se o ano do falecimento, assim, no segundo ano do falecimento, celebra-se a missa de 3.º ano e assim por diante. A exceção é apenas para o primeiro ano quando celebram a primeira missa ao completar o primeiro ano de falecimento. Os xintoístas o fazem no 10º, 20º, 30º, 40º e 50º dia. Depois no 100º dia e após 1, 3, 5, 10, 20, 30, 50 e 100 anos. Os envelopes levam a inscrição: 

Para os Budistas:

御悔 ー okuyami – “condolências” – é o primeiro oferecimento ao falecido, entregue durante o velório.

御 香 典 – gokouden – literalmente “aroma para cerimônia” ou “para o incenso”, é a ajuda para cobrir as despesas da cerimônia – usa-se em enterros ou missas comemorativas.

御 香 料 – gokouryou – literalmente “fonte de aroma”. Tem o mesmo significado de gokouden.

御 仏 前 – gobutsuzen – literalmente “diante de Buda” – faz-se em cerimônias fúnebres após a missa de 49º dia, mas há seita budista que adota esta inscrição desde a morte.

香 華 料 – koukaryou – “para flores e incenso” – tem o mesmo emprego de gokouden e gokouryou.

御弔料 -otomurairyou – “condolências” – oferecimento que o grupo oferece ao seu representante falecido.

Para xintoístas:

御 玉 串 料 – otamagushiryou – “para as despesas do tamagushi” (tamagushi = objeto sagrado no xintoísmo feito com ramos de sakaki e o gohei (papéis brancos trançados).

御 榊 料 – osakakiryou – “para a despesa de sakaki” (sakaki = planta considerada sagrada pelo xintoísmo).

御 神 前 –goshinzen – “diante de deus” –

御 神 饌 料 – goshinsenryou – “para despesas de oferendas aos deuses”

御 膳 料 – (go) ozenryou – “para despesas de oferendas” – no xintoísmo costuma-se dispor num pequeno altar gêneros alimentícios como oferendas.

Para cristãos:

御 花 料 – gokaryou – ohanaryou – “para compra de flores”

御 弔 慰 料 – gochouiryou – “ condolências”

御弔典 – gochouden – “ condolências”

忌慰料 -kiiryou – ” condolências”
Para qualquer religião ou sem religião:

御 霊 前 – goreizen – literalmente “diante do espírito” – faz-se em cerimônia fúnebre de xintoístas, cristãos ou qualquer religião que crê na existência da alma humana mas não tem a tradição do oferecimento do incenso ou flores. Embora pareça essa a tradição do oferecimento que serve para qualquer situação no Japão (impensável o ser humano sem espírito na cultura japonesa), não se pode deixar de considerar o uso das duas anteriores, mais adequadas, para os que não têm qualquer tradição religiosa ou crença.

É também utilizado no budismo nas cerimônias até o 49º dia. Após, usa-se gobutsuzen.

献 花 料 – kenkaryou – “dinheiro para compra de flores”

御 回 向 料 –goekouryou – “para despesas do culto ao falecido”

御 塔 婆 料 –gotoubaryou (otoubaryou) – “para despesa da inscrição na tabuleta” do nome do falecido.

御供物料 – gokumotsuryou (okumotsuryou)– “para oferendas”


Referencias: 

http://www.nipocultura.com.br/?p=1278
http://www.coisasdojapao.com/2017/04/envelopes-com-dinheiro-uma-questao-de-costume-e-etiqueta/
http://www.japaoemfoco.com/noshibukuro-envelopes-de-dinheiro-japones/

Nenhum comentário:

Postar um comentário