sábado, 24 de junho de 2017

Lançamento! Sakuragawa Tatsuru - Tokyo no Hito


Confiram o single de debut do cantor Sakuragawa Tatsuru, lançado em junho de 2017. Mais um cantor da nova geração do enka que está chegando ao mercado japonês!

Evento! Festival do Japão de Joinville (SC)


Joinville ganha Festival Japão!

Venha celebrar os 109 anos da imigração japonesa no país. Além da deliciosa gastronomia japonesa com preços populares, haverá várias atrações culturais, como: exposição de Ikebana, Mangá, Bonsai, oficina de origami, concurso/desfile de Cosplay, apresentação de dança japonesa, apresentação de Taiko e artes marciais. Diversão para crianças, jovens e adultos, traga a sua família e venha se divertir!

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Evento! 36ª Festa da Imigração Japonesa de São Bernardo do Campo (SP)





Nos proximos dias 24 e 25 de junho acontecerá nas dependências do CENFORPE, a 36ª Festa da Imigração Japonesa da cidade de São Bernardo do Campo. Co ampla praça de alimentação com o melhor da culinaria oriental e diversos bazaristas, este evento se consolida como um dos maiores eventos orientais do Grande ABC. Com programação variada, o evento trará muitas atrações que representam a cultura japonesa com grandes nomes da colônia japonesa. 

Eu, Ricardo Nakase, terei o prazer de me apresentar no dia 24 de junho às 16:40h, Te espero lá! 

Anotem na agenda, convidem os amigos e familiares e não esqueçam de passar por lá:

36° JAPÃO EM SÃO BERNARDO!

DATAS: 24 e 25 de Junho de 2017
HORÁRIO: das 10h às 21h 
LOCAL: Cenforpe (Av. Dom Jaime de Barros Câmara, 201 - Planalto)
ENTRADA: Entrada franca
REALIZAÇÃO: Rengo kai (União das Associações Nipo Brasileira de São Bernardo do Campo)

Lançamento! Ninuma Kenji - Tarou no Hatsukoi

Confiram o mais recente lançamento do cantor Ninuma Kenji, a canção "Tarou no Hatsukoi", lançado em abril de 2017.

Evento! 52º Gueinosai - Festival de Musica e Dança Folclorica Japonesa (SP)


Nos dias 24 e 25 de junho será realizado um dos eventos comemorativos aos 109 anos da imigração japonesa no Brasil, o aguardado Gueinosai – Festival de Música e Dança Folclórica Japonesa.

Considerado um dos mais importantes eventos culturais da comunidade nipo-brasileira, o Gueinosai reúne diferentes modalidades artísticas de palco, tais como dança (tradicional japonesa, ocidental), música (karaokê ou instrumental: shakuhachi, shamisen, koto, etc.), recitação, taiko, entre outros.

Além de cerca de 130 apresentações nos dois dias do evento, haverá no local um mini bazar e será realizado sorteio de brindes ao público. E, como Gran Finale, domingo há uma apresentação especial com Yuubi Japanese Dance Company.

HOMENAGEM AOS IDOSOS
Outra atividade especial no domingo (25), acontece antes do início do festival, quando a comunidade nipo-brasileira se reúne para o tradicional Hakujusha Hyoshou – Homenagem aos Idosos acima de 99 anos. Todos estão convidados a participar!

52º Gueinosai - Festival de Música e Dança Folclórica Japonesa 2017
Dias 24 e 25 de junho, a partir das 10h
Entrada Franca - colabore doando 1Kg de alimento não perecível (exceto sal e açúcar)
Rua São Joaquim, 381 - Liberdade - São Paulo - SP (próx. Metrô São Joaquim)
Informações: (11) 3208-1755

Evento! 05ª Festa Oriental Japão na Praça em Piracicaba (SP)


terça-feira, 20 de junho de 2017

Evento! 10º Festa da Cultura Japonesa de Sumaré (SP)



Nos proximos dias 24 e 25 de junho a cidade de Sumaré celebrará sua 10º edição da Festa da Cultura Japonesa. Com apresentações artisticas e o melhor da culinária oriental, este festival se consolida como uma das maiores representações da cultura japonesa da região. 

Eu, Ricardo Nakase, terei a grande alegria de me apresentar neste belissimo festival no dia 25 de junho às 13:30h. Te espero lá!

10º Festa da Cultura Japonesa de Sumaré
Dia 24/06 à partir das 19h
Dia 25/06 à partir das 10h
Local: Associação Nipo-Brasileira de Sumaré
Avenida Saudade, 1499, 13171-320 Sumaré

Inscrições Abertas para o 30º Miss Ryuso!


Miss Ryuso – O ponto alto do Kyodo Matsuri, abriu as inscrições para a escolha da mais bela representante da cultura okinawana do Brasil. As representantes irão desfilar em traje de gala e com o traje tradicional de Okinawa, o Bingata. 

O início do desfile está marcado para o dia 30 de julho de 2017 e costuma lotar o auditório do CCOB. O júri deverá escolher a candidata que melhor representa os valores de graciosidade, elegância, beleza e comunicação dos uchinanchus.

As quatro primeiras candidatas receberão diversos prêmios. A Miss Ryuso terá direito a uma passagem de ida e volta para Okinawa, com cinco dias de hospedagem e participação no tradicional festival Naha Matsuri de 2016. A segunda colocada receberá um Smartphone e a terceira um Tablet. Já a Miss Simpatia levará uma TV para casa. Também a melhor Torcida recebe um troféu.

Lembrando que a candidata deverá obrigatoriamente ser descendente da região de Okinawa, podendo ser mestiça. Data limite para a inscrição: dia 26 de julho. 

Haverá transporte gratuito saindo do Terminal de Tróleibus de Diadema. A entrada é um quilo de alimento não perecível.

Lançamento! Nagaho Yuki - Tsuyu no Hana

Confiram o mais recente lançamento da cantora Nagaho Yuki, a canção "Tsuyu no Hana", lançado em junho de 2017. Nascida em agosto de 1959 na provincia de Osaka, a cantora Nagaho Yuki completa 32 anos de carreira em 2017 com 40 singles lançados.





Evento! 03ª Festa do Udon do Bunka Kyokai Diadema (SP)


Evento! Densetsu ~Um Olhar Fotografico Sobre as Lendas


Primeira exposição individual do fotógrafo Daniel Ramos, que apresenta uma série de retratos inspirados em lendas do folclore e da mitologia japonesa.

Local: Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo
Datas: 18 a 22/06 – Salão Nobre; 23/06 a 09/07 – Espaço V Centenário
Horário: todos os dias (segunda a domingo), das 10:00 às 20:00hs

Entrada Franca

Instagram: @densetsuexpo

domingo, 18 de junho de 2017

109 anos da Imigração Japonesa - "Haru to Natsu ~as cartas que não chegaram~


Haru e Natsu (br: Haru e Natsu - As cartas que não chegaram; jap:ハルとナツ 届かなかった手紙) é uma minissérie nipo-brasileira produzida pela emissora de televisão japonesa NHK transmitida no Brasil pela Rede Bandeirantes entre 25 de fevereiro e 7 de março de 2008.

Foi produzida em 2005 em comemoração aos 80 anos da primeira transmissão da NHK; no entanto, só foi transmitida no Brasil em 2008, ano em que se comemorou o centenário da imigração japonesa no Brasil. Em 05 episodios comoventes, através deste dorama, podemos observar um pouco do sofrimento dos imigrantes e também dos familiares que ficaram para trás. 

Haru e Natsu reproduz o drama vivido por muitas famílias separadas pela imigração: Haru Takakura, a irmã mais velha, cumpre o destino de milhares de japoneses que vieram ao Brasil em busca de uma vida melhor. Trabalha em plantações de café e se habitua ao cotidiano das colônias. Mas apesar das privações no país distante de sua terra natal, se mantém rodeada pela família.

Enquanto isso no Japão, a solitária Natsu enfrenta as privações da guerra, presencia a reconstrução de seu país e vive a fase de crescimento econômico, se transformando em empresária de sucesso. Houve uma tentativa de contato. Por vários anos as irmãs escrevem cartas que nunca chegaram ao seu destino final, selando de vez a separação. Setenta anos depois, Haru finalmente consegue dinheiro para voltar ao Japão e tenta uma difícil reaproximação com sua irmã. O filme mostra também a exploração de alguns fazendeiros que faziam contratos com os emigrantes, "colonos", segurando-os em dívidas por fornecimento de alimentos nas famosas vendinhas existente nas fazendas.








Especial 109 anos da Imigração Japonesa no Brasil!


Já se passaram 109 anos desde a chegada do primeiro navio de imigrantes vindo da Terra do Sol Nascente, o Kasato Maru, em 18 de junho de 1908. Estima-se que, hoje, mais de um milhão e meio de descendentes nipônicos vivem no Brasil, população que aumenta a cada ano e representa a maior comunidade de descendentes de japoneses fora do Japão. A grande maioria reside nos estados de São Paulo, Paraná, Mato Grosso do Sul e Pará.

A imigração japonesa no Brasil começou oficialmente no início do século XX, no ano de 1908. Atualmente, o Brasil abriga a maior população de origem japonesa fora do Japão, com cerca de 1,5 milhão de nikkeis (日系) (termo usado para denominar os japoneses e seus descendentes). Um nipo-brasileiro (em japonês 日系ブラジル人, nikkei burajiru-jin) é um cidadão brasileiro com ascendentes japoneses. Também são consideradas nipo-brasileiras as pessoas nascidas no Japão radicadas no Brasil.

A imigração japonesa no Brasil teve início oficialmente em 18 de junho de 1908, quando o navio Kasato Maru aportou em São Paulo, trazendo 781 lavradores para as fazendas do interior paulista. O fluxo cessou quase que totalmente em 1973, com a vinda do último navio de imigração Nippon Maru, contando-se quase 200 mil japoneses estabelecidos no país.

Há 109 anos, imigrantes japoneses chegavam ao Brasil para trabalhar em lavouras de café no Estado de São Paulo. Desde então, as cidades que mais receberam orientais mantêm até hoje as tradições nipônicas. 

O número estimado de cidadãos brasileiros com ascendência japonesa é de 1,5 milhão, de acordo com o Consulado Geral do Japão em São Paulo. A maior concentração de japoneses está no sul e sudeste, mas isso não quer dizer que os nikkeis residam apenas nessas regiões. Eles também estão no Centro-Oeste e Norte do País.

Em São Paulo estão cerca de 400 mil japoneses. O maior reduto da colônia nipônica fora do Japão é o Bairro Liberdade, onde as fachadas são escritas com ideogramas japoneses e a arquitetura é tradicionalmente oriental.

O bairro é conhecido por receber turistas de todo o mundo, apaixonados pela cultura e tradição orientais. A Feira da Liberdade, na capital paulista, reúne aos finais de semana elementos típicos da cultura do Japão, com destaque especial para a gastronomia.

O turista não precisa ir ao outro lado do mundo para conhecer um pouco da cultura japonesa. No Brasil, cidades colonizadas pelos orientais mantêm até hoje as tradições nipônicas. 

No Paraná, a cidade de Assaí possui a maior concentração de nipo-brasileiros do estado. Desde o final da década de 30, com a colonização dos japoneses, as tradições orientais são passadas de pai para filho. A população, miscigenada entre brasileiros e japoneses, realiza os eventos da cidade, como O Bon Odori e o Tanabata, perpetuando a cultura oriental existente no dia a dia da população. O sistema de produção de frutas e o espaço agrícola da cidade também são realizados com técnicas japonesas.

Para quem procura pelas tradições nipônicas mais ao sul do país, o destino é o município de Ivoti, no Rio Grande do Sul. Em 1996, os dirigentes da cidade destinaram terras para serem ocupadas por 26 famílias de imigrantes, formando a colônia japonesa produtora de uvas, kiwi, hortaliças e flores. A colônia cresceu e hoje é responsável por realizar festas culturais, como Feira da Colônia Japonesa, a gincana esportiva Undo Kai e o evento Enguei Kai. O turista que visita Ivoti tem a oportunidade de conhecer o Memorial da Colônia Japonesa, com relíquias e artefatos que contam a história e conquistas japonesas no estado. 

No outro extremo do país, na Região Norte está a cidade com a terceira maior colônia japonesa do Brasil. Os primeiros imigrantes chegaram a Tomé-Açu, no Pará, em 1926, quando um grupo de cientistas japoneses foram ao estado para localizar áreas nas quais pudessem ser instaladas colônias agrícolas e, a partir delas, dinamizar a economia com práticas modernas de cultivo. Em 1929, a Companhia Nipônica de Plantação do Brasil comprou terras paraenses e 189 japoneses iniciaram uma nova jornada naquela região. A cidade foi presenteada com o trabalho dos imigrantes e ganhou o título de maior produtora brasileira de pimenta-do-reino.


quinta-feira, 15 de junho de 2017

Evento! 19ª Festa da Imigração Japonesa 2017 – Limeira (SP)



Venha conhecer e experimentar a cultura japonesa! Comidas típicas, Taiko (tambores), Origami, Ikebana, Produtos Orientais, Bon Odori, Artesanato, Música Japonesa, Animeira.

Olá amigos! Eu, Ricardo Nakase, me apresentarei neste maravilhoso evento no dia 17 de junho às 21h. Te espero lá!

Data
17/06, sábado, das 18h às 22h
18/06, domingo, das 10h às 16h

Local
Centro Municipal de Eventos
Avenida Maria Thereza S. de Barros Camargo, 1525
Limeira-SP

Realização
NIBRALI – Associação Nipo-Brasileira de Limeira, com apoio da Prefeitura, por meio da Secretaria de Cultura

Entrada Gratuita

Estacionamento
R$10,00 por veículo

Saiba mais
NIBRALI – Associação Nipo-Brasileira de Limeira
https://www.facebook.com/Nibrali/ 

Lançamento! Akimoto Junko - Yume no Tsuzuki wo...

Confiram o mais recente lançamento da cantora Akimoto Junko, a canção "Yume no Tsuzuki wo...", lançado em junho de 2017.



Evento! Expo Japão ACEL 2017 (Londrina - PR)


O evento é realizado anualmente pela ACEL – Associação Cultural e Esportiva de Londrina, e se consolida como um dos mais representativos eventos de promoção e divulgação da cultura japonesa. Uma mostra grandiosa que reúne gastronomia, cultura, apresentações artísticas e esportivas, exposições, simpósio agrícola, concursos e muito mais!

Evento! 10º Festival da Cultura Japonesa de Ubatuba(SP)


terça-feira, 13 de junho de 2017

Evento! Workshop de Cultura Japonesa da Aliança Cultural Brasil Japão (SP)


Workshop de Cultura Japonesa - 17/Junho das 10h às 16h

As atividades programadas para este Workshop são: おりがみ (dobradura), 日本のあそび (jogos japoneses), かんじ(“kanji”), 日本のうた(música japonesa), 日本のえいが (filme japonês), おしゃべり(bate papo em japonês), ぼんおどり (dança folclórica), しょどう(caligrafia), のう(Teatro Noh) e はいく (poesia tradicional japonesa). Os professores e voluntários da Aliança serão os instrutores dos workshops, que tem duração de 50 minutos e acontecem em 4 horários: 10h, 11h, 14h e 15h. As vagas são limitadas (20 participantes por turma).

Ingresso: Grátis. É necessário fazer reserva na secretaria da São Joaquim, pessoalmente ou por email (saojoaquim@aliancacultural.org.br) ou telefone 11-3209-9998. Caso não possa comparecer, avisar a secretaria com antecedência de 24h.

Informações: tel. (11)3209-9998/3209-6420 ou e-mail saojoaquim@aliancacultural.org.br


Local: Aliança Cultural Brasil-Japão - Unidade São Joaquim - R. São Joaquim, 381, 6ºandar - Liberdade - São Paulo-SP

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Especial Dia dos Namorados!


O Dia dos Namorados, em alguns países chamado Dia de São Valentim é uma data especial e comemorativa na qual se celebra a união amorosa entre casais e namorados, em alguns lugares é o dia de demonstrar afeição entre amigos. Sendo comum a troca de cartões e presentes com simbolo de coração, tais como as tradicionais caixas de bombons. Em Portugal e em Angola, assim como em muitos outros países, comemora-se no dia 14 de Fevereiro. No Brasil a data é comemorada no dia 12 de junho, véspera do dia de Santo António de Lisboa, conhecido pela fama de "Santo Casamenteiro".
A história do Dia de São Valentim remonta a um obscuro dia de jejum tido em homenagem a São Valentim. A associação com o amor e romantismo chega depois do final da Idade Média, durante o qual o conceito de amor romântico foi formulado.

O bispo Valentim lutou contra as ordens do imperador Cláudio II, que havia proibido o casamento durante as guerras acreditando que os solteiros eram melhores combatentes.

Continuou celebrando casamentos, apesar da proibição do imperador. A prática foi descoberta e Valentim foi preso e condenado à morte. Enquanto estava preso, muitos jovens lhe enviavam flores e bilhetes dizendo que ainda acreditavam no amor. Enquanto aguardava na prisão o cumprimento da sua sentença, ele se apaixonou pela filha cega de um carcereiro e, milagrosamente, devolveu-lhe a visão. Antes da execução, Valentim escreveu uma mensagem de adeus para ela, na qual assinava como “Seu Namorado” ou “De seu Valentim”.

Considerado mártir pela Igreja Católica, a data de sua morte - 14 de fevereiro - também marca a véspera de lupercais, festa anual celebrada na Roma antiga em honra a deusa Juno e ao deus Pan. Um dos rituais desse festival era a passeata da fertilidade, em que os sacerdotes caminhavam pela cidade batendo em todas as mulheres com correias de couro de cabra para assegurar a fecundidade.

Outra versão diz que no século XVII, ingleses e franceses passaram a celebrar são Valentim como a união do Dia dos Namorados. A data foi adotada um século depois nos Estados Unidos, tornando-se o Saint Valentine's Day. E na Idade Média, dizia-se que o dia 14 de fevereiro era o primeiro dia de acasalamento dos pássaros. Por isso, os namorados da Idade Média usavam esta ocasião para deixar mensagens de amor na soleira da porta do(a) amado(a). Na sua forma moderna, a tradição surgiu em 1840, nos Estados Unidos, depois que Esther Howland vendeu US$ 5000 em cartões do Dia dos Namorados, uma quantia elevada na época. Desde aí, a tradição de enviar cartões continuou crescendo, e no século XX se espalhou por todo o mundo.

Atualmente, o dia é principalmente associado à troca mútua de recados de amor em forma de objetos simbólicos. Símbolos modernos incluem a silhueta de um coração e a figura de um Cupido com asas. Iniciada no século XIX, a prática de recados manuscritos deu lugar à troca de cartões de felicitação produzidos em massa.

O dia de São Valentim era até há algumas décadas uma festa comemorada principalmente em países anglo-saxões, mas ao longo do século XX o hábito estendeu-se a muitos outros países.

No Brasil, a data é comemorada no dia 12 de Junho por ser véspera do 13 de Junho, Dia de Santo António, santo português com tradição de casamenteiro.

A data provavelmente surgiu no comércio paulista, quando o publicitário João Doria trouxe a ideia do exterior e a apresentou aos comerciantes, iniciando em junho de 1949 uma campanha com o slogan "não é só com beijos que se prova o amor". A ideia se expandiu pelo Brasil, amparada pela correlação com o Dia de São Valentim — que nos países do hemisfério norte, ocorre em 14 de fevereiro e é utilizada para incentivar a troca de presentes entre o casal apaixonado.

Matsubara Takeshi - Ai no Uta


Takahashi Mariko - For You


Kayama Yuzo - Kimi to Itsumade mo


Oyang Fei Fei - Love is Over

Japão aprova lei que permitirá abdicação do Imperador Akihito


Tóquio- A Câmara Alta do parlamento do Japão (equivalente ao Senado, no Brasil) aprovou na sexta-feira (9) a proposta legislativa que permitirá ao imperador Akihito ceder o trono a seu filho, o príncipe herdeiro Naruhito, naquela que será a primeira abdicação no país em 200 anos. As informações são da Agência EFE.

A promulgação acontece dez meses depois de o monarca, de 83 anos, expressar seu desejo de abandonar o trono devido à sua idade avançada e saúde delicada, uma possibilidade que a lei que rege a Casa Imperial japonesa não contemplava na atualidade.

O governo deve definir agora uma data para a abdicação, que acontecerá três anos após a promulgação da legislação que se aplica apenas ao Imperador Akihito.

Embora não tenha uma data definida, o Executivo planeja para dezembro de 2018, quando o imperador completará 85 anos de idade e três décadas como chefe de Estado, ou em janeiro de 2019, coincidindo com a passagem de ano, buscando limitar o impacto dos efeitos administrativos da mudança de era que ocorreria no Japão.

Mesmo com a abdicação póstuma contemplada na atual lei da Casa Imperial, no passado, metade dos 125 imperadores que ocuparam o Trono do Crisântemo abandonaram o cargo antes da sua morte, o último foi o imperador Kokaku, em 1817.

Sucessão

O órgão legislativo aprovou também hoje uma resolução não vinculativa que pede ao governo para abrir o debate sobre a ascensão de mulheres ao trono. A lei que rege a monarquia japonesa desde 1947 não permite que mulheres ocupem o cargo. 

Elas também perdem o status de realeza quando se casam com um plebeu, praticamente a única opção viável, pois o único homem solteiro da família é o príncipe Hisahito, de 10 anos.

O anúncio, em maio, do noivado da neta mais velha de Akihito, a princesa Mako, com um colega de universidade, teve grande impacto social no Japão e reavivou o debate sobre a reforma da lei da Casa Imperial para tentar assegurar a sucessão, diante da escassez de nascimentos do sexo masculino dentro família.

Quando a princesa se casar, a família passará a contar com 18 membros, dos quais apenas cinco são homens: o imperador Akihito (83), o seu irmão, o príncipe Hitachi (81), o príncipe herdeiro Naruhito (57), o príncipe Akishino (51) e o príncipe Hisahito (10).

Fonte: http://www.alternativa.co.jp/Noticia/View/69057/Japao-aprova-lei-que-permitira-abdicacao-do-imperador-Akihito

Evento! 10º Festival de Cultura Japonesa de Ubatuba(SP)


O tradicional festival da Cultura Japonesa de Ubatuba acontece de 15 a 18 de junho na Praça de Eventos de Ubatuba. Em sua décima edição, o evento contará com barracas de comidas típicas da culinária oriental, além de diversas apresentações culturais.

A iniciativa é da Associação Nipo Brasileira (Anibra), com o apoio da Prefeitura Municipal, da Fundart e da Comtur.

O evento é uma opção para turistas e moradores durante o feriado do Corpus Christi. A entrada é gratuita. A Abertura oficial será na quinta-feira, 15, às 19h30.

Algumas atrações confirmadas são: Banda Lira Padre Anchieta, Kawasuji Seiry Daiko (Taiko de Atibaia), grupo de dança Gisela Papadopoulos, Dança Japonesa, Jê Academia, Associação Long Teh de Kung Fu e Thaichi, Teddy Shigueiama, Oriental Magic Show, Coral do Colégio Dominique de Ubatuba, Família Kung Fu e Sanda Boxe Chines equipe Maico Ramos, Cantores consagrados do campeonato da Associação Abrac, Grupo de Taiko Kodaiko, Grupo de Dança Kpop e Dança do Ventre (professora Aline).

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Evento! 13º Festival do Japão de Campinas (SP)



O Festival de Cultura Japonesa da cidade de Campinas chega a sua 13ª edição, com shows dos cantores Joe Hirata, Karen Ito, Mariko Nakahira e Ricardo Nakase, além de exposições, dança, taikô (tambor japonês), karaokê e artes marciais. Haverá também sorteios de brindes variados no Salão de Shows do evento, exposições, feira de produtos e área de gastronomia.

Olá amigos de Campinas e região! Eu, Ricardo Nakase, me apresentarei no dia 10/06 às 12:30h! Te espero lá! 

Data: 10/06/2017 (sábado) e 11/06/2017 (domingo) das 10h às 20h
Local: Instituto Cultural Nipo-Brasileiro – R. Camargo Paes, 118 – Jardim Guanabara, Campinas – SP
Preço: Entrada franca

Lançamento! Yoshi Ikuzo - Rarabai (Lullaby)

Confiram o mais recente lançamento do cantor e compositor Yoshi Ikuzo, a canção "Rarabai (Lullaby)", lançado em maio de 2017.

Nascido em novembro de 1952 na provincia de Aomori, o cantor Yoshi Ikuzo completa 44 anos de carreira. Interprete e compositor de grandes classicos da música japonesa como "Sakeyo", Yukiguni", "Kaikyo", "Suika", entre muitos outros titulos, ele também é muito famoso pelo seu carisma e bom humor. Com 16 participações no show de final de ano Kouhaku Utagasen da TV NHK, ele também já fez 17 doramas e 07 filmes. Também compôs diversos sucessos para cantores como Itsuki Hiroshi, Sen Masao, Ishikawa Sayuri, Fuji Ayako, Mikawa Kenichi entre muitos outros. 

Confiram o video de seu 70º single!



quarta-feira, 7 de junho de 2017

Evento! Yakissoba Solidário Lar Batista Aclimação (SP)


O Lar Batista de Crianças é uma entidade social sem fins lucrativos que presta atendimento a crianças e adolescentes em situação de Risco. Foi fundado em 17 de Janeiro de 1941 por missionários e líderes batistas do Estado de São Paulo, seguindo o que a Bíblia ensina “…a fé por si só, se não for acompanhada de obras, está morta. ”

O Lar Batista de Crianças é uma obra que vive pela fé e apoio dos Batistas do Estado de São Paulo, com doações de igrejas, pessoas físicas, jurídicas, organizações não governamentais e através de convênios com o governo Federal, Estadual e diversas Prefeituras. Reconhecido como entidade de utilidade pública municipal, estadual e federal, obteve recentemente a renovação do Certificado de Entidade Beneficente de Assistência Social junto ao CNAS.

Atualmente conta com 10 unidades e atende mais de 1.100 crianças de ambos os sexos, de 0 a 18 anos. Em três modelos de atuação: abrigos, creches e projetos educacionais.

www.larbatistaaclimacao.com.br/  

Evento! 08ª Festa Junina do Ikoi no Sono (SP)


Com entrada franca, nossa festa caipira além de todas as delícias que não podem faltar em uma Festa Junina como pamonha, milho cozido, pernil, pastel, caldo de cana, vinho quente, quentão, algodão doce, churros, curau, cocada, canjica e pinhão, também têm um pitada de comida japonesa como yakissoba, guioza e tempurá.

Espaço criança com pescaria, boca de palhaço, argola e canaleta, além do Bingo, bazar de roupas, show com músicas caipiras e japonesas, quadrilha, sorteios e muito mais.

Entrada franca

Endereço: Rua Jardim de Repouso São Francisco 881 - Guarulhos
Estacionamento interno gratuito
Transporte: R$10,00 (Ida e volta)
Rua da Glória 326 - Liberdade
Ida: uma às 9h e outra às 10h
volta: 16h30

terça-feira, 6 de junho de 2017

Evento! 08º Japan Matsuri de Osasco (SP)



Venha prestigiar a 8ª edição do Festival de Cultura Japonesa em Osasco

Um evento que reúne o melhor da gastronomia Japonesa e Ocidental. Além das mais variadas atrações como: workshops, exposições, bazares e um incrível show de fogos que marcarão presença nessa 8ª edição do Festival de Cultura Japonesa!

O evento contará com uma extensa área gastronômica com: udon, yakissoba, gyoza, obentô, espetos, sucos naturais, doces finos, milho verde, pastel,doces portugueses, chips de banana e por aí vai... Com um total de 25 barracas gastronômicas para você desfrutar um pouco desse final de semana coma sua família.

Na área artistico/cultural, o evento apresentará atrações dos mais variados estilos, com ênfase na cultura japonesa com grandes nomes como Karen Ito, Joe Hirata, Kaori Kanegawa entre muitos outros. Confiram a programação completa na página oficial do evento.

Eu, Ricardo Nakase, irei me apresentar no domingo, dia 11/06 às 17:35h com um repertótio bem variado. Te espero lá! 

LOCAL/INFRAESTRUTURA

● Coberto - Proteção contra sol,chuva e vento
● Piso de madeira
● Área de circulação seca e protegida contra o tempo
● Mesas e cadeiras 
● Palco para shows e cadeiras 
● Estacionamentos ao lado do evento (2)
● Transporte gratuito até o evento
● Bazares 
● Estandes gastronômicos
● Área Cultural

INGRESSOS
● Ingresso na bilheteria - R$ 10,00
● Antecipado - R$7,00
● Ingresso Gratuito

- Crianças até 10 anos, adultos acima de 65 e funcionários Bradesco com o crachá do banco 
- Ou participe dos nossos workshops neste final de semana (03 e 04 de junho) a partir das 15:00 na Sala Japão, localizada no 1º piso do Super Shopping em frente a imaginarium 

PONTOS DE VENDA
- Sala Japão – Super Shopping, 1º piso em frene à imaginarium

- Tocco Materiais para Construção - Antonio C. Costa, 1240 - Jd. Cipava - Osasco, SP 

- Mercearia Sora - R. Eva Terpins, 230 - Parque Continental, São Paulo - SP, 05327-000 
Telefone: (11) 2768-2580

- Loja Oriente - R. Antônio Agú, 880 - Centro, Osasco - SP, 06093-008 
Telefone: (11) 3681-8817

- Secretaria ACENBO – R. Acenbo, 100, Jd. Umuarama, Osasco – SP 06030-512
Telefone: (11) 3684-0904

Teremos estacionamento no local, um ao lado e alguns pontos de transporte gratuito até o evento

ESTACIONAMENTO
● Rua Acenbo, 100 - Jd Umuarama - Osasco, SP - LOCAL DO EVENTO (Preço fixo/dia)

● Rua Giusepe Ferrari, 26A - Jd Umuarama – Osasco, SP – LOCAL DO EVENTO (GRATUITO)

● Bolsão de Estacionamento - Prefeitura de Osasco (GRATUITO) - Transporte gratuito até o evento

TRANSPORTE GRATUITO (SAÍDA)

As vans que realizarão o transporte passarão por esses itinerários em 15 e 15 minutos

● Saída do Super Shopping
● Estação Osasco (CPTM)
● Prefeitura de Osasco 

MAIS INFORMAÇÕES NO SITE
Curta e compartilhe a nossa pagina

08º Japan Matsuri de Osasco
JUNHO
10(sáb): 10h00 às 22h00
11(dom): 10h00 às 20h00
Na Rua Acenbo, 100 - Jd Umuarama - Osasco, SP

Lançamento! Shinno Mika - Ishikari Aika


Confiram o mais recente lançamento da cantora Shinno Mika, a canção "Ishikari Aika", lançado em maio de 2017. Nascida em agosto de 1965 na provincia de Osaka, a cantora Shinno Mika completa 35 anos de carreira. Com 55 singles lançados e 02 participações no show de final de ano Kouhaku Utagasen, a cantora tem se consolidado como uma das grandes representantes da música enka da atualidade. A canção "Ishkari Aika" é composição do grande cantor e compositor Yoshi Ikuzo. 




Evento! 10º Festa Japonina de Vargem Bonita (DF)


16ª FESTA JAPONINA
10 DE JUNHO
ASSOCIAÇÃO NIPO-BRASILEIRA DE VARGEM BONITA
(Em frente à Quadra 17 do Park Way)

YAKISOBA
Antecipado: R$ 12,00
Venda no dia: R$ 15,00 
(Válido somente para o Yakisoba)


Informações (whatsapp):
Gerardo (61) 98404-0169
Jaime (61) 99211-3346
Marcelo (61) 98106-8299
Eduardo (61) 99655-7978

Evento! Japan Fest Vila Ré (SP)


O Japan Fest Vila Ré 2017 será realizado no dia 11 de Junho a partir das 11h da manhã na rua Monte das Gameleiras, 375 - Vila Ré - São Paulo, próximo ao metro Patriarca na linha 3 - vermelha do metrô.

O evento contará com diversas atrações da cultura japonesa no palco, muitos prêmios no bingo e comidas deliciosas!! E o melhor de tudo: a entrada é GRATUITA!!
Traga toda a família para apreciar um pouco da cultura japonesa.

Para mais informações entre em contato com os organizadores:
Whatsapp: (11) 94367-7167 
E-mail: sfwadaiko@gmail.com

domingo, 4 de junho de 2017

Lançamento! Taiki Sora - Uwajima no Yoru

Confiram o mais recente lançamento do cantor Taiki Sora, a canção "Uwajima no Yoru", lançado em março de 2017. Este é o sexto single deste jovem cantor que faz parte da nova geração do enka. Na sequencia, confiram o video do segundo titulo do single, a canção "Naki Naki Hatoba".



sábado, 3 de junho de 2017

Cultura Japonesa! Shishimai ~A Dança dos Leões~


Dança do leão ( chinês simplificado : 舞狮 ; chinês tradicional : 舞獅 ; pinyin : wǔshī ) é uma forma de dança tradicional na cultura chinesa e outros países asiáticos em que os artistas se caracterizam e imitam os movimentos de um leão . A dança do leão geralmente é realizada durante o Ano Novo Chinês e outros festivais tradicionais chineses, culturais e religiosos. Também pode ser realizado em ocasiões importantes, como eventos de abertura de negócios, celebrações especiais ou cerimônias de casamento, ou podem ser usados ​​para honrar convidados especiais pelas comunidades chinesas. NO entanto, o leão não é um animal nativo da China, portanto, existem indicios historicos de que a inspirção da dança tenha sido trazida de países do Oriente Médio ou África. Descrições detalhadas da dança do leão apareceram durante a dinastia Tang e já era reconhecida por escritores e poetas então como uma dança estrangeira, no entanto, a dança do leão pode ter sido registrada na China já no terceiro século dC.
Nos primeiros períodos, teve associação com o budismo: foi registrado em um texto do Norte de Wei , Descrição dos Templos Budistas em Luoyang (洛陽 伽藍 記), que um desfile para uma estátua de Buda de um O templo foi conduzido por um leão para expulsar espíritos malignos.

Existem duas formas principais da dança do leão chinês, do Leão do Norte e do Leão do Sul. Ambas as formas são comumente encontradas na China, mas em todo o mundo, especialmente no Sudeste Asiático, o Leão do Sul predomina, uma vez que foi espalhado pelas comunidades chinesas durante as colonizações. Versões da dança do leão também são encontradas no Japão , Coréia , Tibete e Vietnã . 

O Leão do Sul foi desenvolvimento posterior no sul da China, originário da província de Guangdong . Há uma série de mitos associados à origem do Leão do Sul: uma história diz que a dança se originou como uma celebração em uma aldeia onde um monstro mítico chamado Nian foi expulso com sucesso por um leão; outro diz que o imperador de Qianlong sonhou com um animal auspicioso enquanto visitava o sul da China e ordenou que a imagem do animal fosse recriada e usada durante os festivais. No entanto, é provável que o Leão do Sul de Cantão seja uma adaptação do Leão do Norte aos mitos e características locais, talvez durante a Dinastia Ming .

Tipos Regionais da Dança do Leão

Os dois principais tipos de dança do leão na China são os Leões do Norte e do Sul. No entanto, existem também várias formas locais de dança do leão em diferentes regiões da China, e alguns desses leões podem ter diferenças significativas na aparência, por exemplo, o Leão Verde (青獅, Qing Shi) popular entre o povo Hokkien e Taiwan. Outros grupos de minorias étnicas na China também podem ter suas próprias danças de leão, por exemplo, a dança do leão da minoria muçulmana no condado de Shenqiu em Henan . As danças do leão chinesas geralmente envolvem dois dançarinos, mas também podem ser realizadas por um. Os leões maiores manipulados por duas pessoas podem ser referidos como grandes leões (太 獅), E aqueles manipulados por uma pessoa pequenos leões (少 獅). As performances também podem ser amplamente divididas em estilos civis (文 獅) e marciais (武 獅). O estilo civil enfatiza o caráter e imita e o comportamento do leão, enquanto o estilo marcial é focado em acrobacias e movimentos energéticos. 

Existem formas relacionadas de danças com figuras de máscara que representam criaturas míticas, como o Qilin e o Pixiu . A dança de Qilin é mais comumente realizada pelos povos de Hakka que eram originalmente do norte da China, mas se estabeleceram em grande parte no sul da China e no sudeste da Ásia nos tempos modernos. 

Leão Chinês do Norte

O leão do norte chinês (Chinês simplificado: 北 狮 , chinês tradicional: 北 獅 ; pinyin: Běi shī ) A dança é muitas vezes realizada como um par de leões do sexo masculino e feminino no norte da China. Os leões do norte podem ter uma cabeça de madeira pintada de ouro, e cabelos amarelos e lustrosos com um arco vermelho na cabeça para indicar um leão macho, ou um arco verde (às vezes, cabelos verdes) para representar uma fêmea. No entanto, existem variações regionais do leão.

Os leões do Norte se parecem com Pekingese ou Fu Dogs , e seus movimentos são realistas durante uma performance. As acrobacias são muito comuns, com acrobacias como elevadores, ou equilibrando em uma plataforma em camadas ou em uma bola gigante. Os leões do Norte aparecem às vezes como uma família, com dois grandes leões "adultos" e um par de pequenos "leões jovens". Geralmente, há dois artistas em um leão adulto e um no leão jovem. Também pode haver um personagem "guerreiro" que detém um objeto esférico e leva os leões. 

A dança do Leão do Norte é geralmente mais brincalhão do que o Leão do Sul. Regiões com grupos bem conhecidos de dança do leão incluem Xushui na província de Hebei e Ninghai em Ningbo . Há uma série de variações da performance da dança do leão, por exemplo, a Heavenly Tower Lion Dance (chinês simplificado: 天 塔 狮 舞 ; chinês tradicional: 天 塔 獅 舞 ; pinyin: Tiān tǎ shī wǔ ) do condado de Xiangfen em Shanxi é um Desempenho em que uma série de leões suba uma estrutura de torre alta construída a partir de fezes de madeira e também há atos de alto fio que envolvem leões

Leão Chinês do Sul

O Leão chinês do Sul (chinês simplificado: 南狮 ; tradicional chinesa: 南獅 ; pinyin: Nán shī ) se originou em Guangdong . O Leão do Sul tem um chifre único e está associado à lenda de um monstro mítico chamado Nian . O leão consiste em uma cabeça que é tradicionalmente construída usando papel-mâché sobre um quadro de bambu coberto com gaze, depois pintado e decorado,e um corpo feito de tecido durável e em camadas aparadas de pêlo. Leões mais recentes, no entanto, podem ser feitos com materiais modernos, como o alumínio em vez do bambu e são mais leves.

Existem dois estilos principais de Guangdong ou Cantonese Lion: o Fut San ou Fo Shan (chinês: 佛山 ; pinyin: Fúshān , literalmente: "Buda Mountain"), e o Hok San ou He Shan (chinês simplificado : 鹤山 ; chinês tradicional: 鶴山 ; pinyin: hèshān , literalmente: "Crane Mountain"), ambos com o nome de seu local de origem. Outros estilos menores incluem o Fut-Hok (um híbrido de Fut San e Hok San criado em Cingapura por Kong Chow Wui Koon na década de 1960), e o Jow Ga (interpretado por praticantes do estilo kung fu da família Jow).

Fo Shan é o estilo que muitas escolas de kung fu adotam. Ele requer poder em movimentos e força na postura. O leão torna-se a representação da escola kung fu e apenas os estudantes mais avançados podem realizar. Tradicionalmente, o leão Fo Shan tem cerdas em vez de pelos e é mais pesado do que os modernos agora popularmente usados. Também tem uma cauda muito longa e olhos que giram para a esquerda e para a direita. Na parte traseira, há jantes douradas e uma área dourada onde o nome da troupe pode ser escrito. Todo o estilo tradicional Fo Shan tem dentes, língua e olhos giratórios. O lado de baixo da cauda é branco; Os desenhos da cauda também são mais quadrados e contêm um padrão de diamante descendo a parte de trás e muitas vezes tem sinos presos à cauda. Tem uma testa alta, lábios curvos e um chifre afiado na cabeça. Os leões tradicionais de Fo Shan são ornamentados, uma série de estilos regionais, porém, se desenvolveram em todo o mundo. Os estilos mais novos de leões de Fo Shan substituem todas as cerdas por peles e as caudas são mais curtas. Os olhos são fixados no lugar e a língua e os dentes não aparecem. A cauda é mais curvilínea no design, não tem um padrão de diamante e não tem sinos.

Dança do Leão Japonês

O Japão tem uma longa tradição da dança do leão e a dança é conhecida como shishi-mai ( 獅子舞 ) em japonês . Acredita-se que tenha sido importado da China durante a Dinastia Tang e se associou à celebração do Aniversário de Buda . A primeira dança do leão gravada no Japão foi nas cerimônias de inauguração de Todai-ji em Nara em 752. A mais antiga máscara de leão sobrevivente, feita de madeira paulownia com mandíbula inferior articulada, também é preservada em Tōdai-ji . A dança é comumente realizada durante o Ano Novo para trazer boa sorte e expulsar espíritos malignos, e os dançarinos do leão podem ser acompanhados por músicos de flauta e tambor. Também é realizado em outros festivais e celebrações. Em algumas dessas apresentações, os leões podem morder pessoas na cabeça para trazer boa sorte. 
A dança do leão foi completamente absorvida pela tradição japonesa. Existem muitas danças de leão diferentes no Japão e o estilo de dança e design do leão pode diferir por região - acredita-se que existem até 9 mil variações da dança no país. A dança do leão também é usado em festividades religiosas Xintoístas chamada de arte kagura . Kagura Shi pode ser encontrada em diferentes formas - por exemplo o Daikagura que é principalmente acrobático, o kagura yamabushi , um tipo de representação teatral feito por yamabushi ascetas,  e também no bangaku e outros. Várias formas de danças Shishi também são encontradas em teatro noh , kabuki (onde as danças do leão formam um grupo de peças denominadas shakkyōmono ), e os teatros de bunraku .

O leão japonês é composto por uma cabeça de madeira, lacada, chamada shishi-gashira (com cabeça leão), muitas vezes com um corpo característico de pano tinto com desenhos brancos. Pode ser manipulado por uma única pessoa, ou por duas ou mais pessoas, uma das quais manipula a cabeça. A variedade de um homem é mais frequentemente vista no leste do Japão. Tal como acontece com os leões chineses, a marca da cabeça e os desenhos no corpo serão diferentes de região para região, e mesmo de escola para escola. A máscara, no entanto, pode às vezes ter chifres que parecem ser um cervo ( shika ), e Shishi escrito com diferentes Kanjis podendo significar besta, cervo ou javali, por exemplo, como em shishi-odori (鹿 踊). Historicamente, a palavra shishi pode se referir a qualquer animal selvagem de quatro patas, e algumas dessas danças com animais diferentes podem, portanto, também ser referidas como shishi-mai . A dança também pode às vezes caracterizar tigres ( tora ) ou qilin ( kirin ).

Shiisaa - Dança do Leão de Okinawa

Em Okinawa , existe uma dança semelhante, embora o leão seja considerado um shisa lendário . As cabeças, os corpos e o comportamento do shisa na dança são bastante diferentes dos shishi no Japão continental . Em vez de dançar aos sons de flautas e tambores, a dança shisa de Okinawa é muitas vezes realizada para músicas folclóricas tocadas com o sanshin .

Surgido na China, os Leões de Okinawa, mais conhecidos como “Shisá” (シーサー) ( Okinawa : siisaa ou shisaa), podem ser vistos nos telhados das casas, nas portas, nas esquinas das ruas etc. Tradicionalmente, os shisás representam os leões que ajudam a afastar o mal, pois, protegem as casas de maus espíritos e de desastres naturais.

Diz a lenda que, há muito tempo atrás, numa pequena aldeia da ilha de Okinawa, vivia um rapaz chamado “Chiga”. Essa aldeia era aterrorizada por um furioso dragão que aparecia através do mar para atacá-los. Certo dia, após um desses ataques, o rei de Okinawa chegou à aldeia, se aproximou de Chiga e disse: "Eu vi o dragão e os problemas que ele está causando" e então, pegou uma pequena estátua que estava consigo e entregou-o para Chiga e pediu que o colocasse em frente à vila porque ele protegeria todos a partir de então. O rosto da estátua parecia um leão e Chiga o colocou na praia em frenta a sua aldeia.

No dia seguinte, os moradores viram e ouviram as enormes ondas na praia, sinal de que o dragão se aproximava. Todos então saíram de suas casas, com os olhos voltados para a praia, onde de encontrava a estátua do “Shisá”. O dragão saltou para fora do oceano e balançou a cabeça de um lado para o outro e então parou.

A pequena estátua do “Shisá” começou a tremer e pode-se ouvir um feroz rugido de um leão. A estátua se quebrou e então, um enorme leão saltou e atacou o dragão. Os dois desapareceram sob o oceano e os moradores acharam que o leão já estivesse morto, mas de repente, lá longe no mar, uma fonte de água se ergueu no ar e todos ficaram perplexos. Ouviram os rugidos do leão e então, tudo já estava calmo. Chiga olhou para o oceano à procura do leão, mas ele não estava mais lá, mas quando ele olhou para a areia, a estátua do “shisá” estava lá, sem nenhuma parte quebrada. Estava inteira.

A vila, desde esse episódio, nunca mais foi incomodada pelo dragão e a história da bravura do Leão logo foi se espalhando por entre as outras vilas ficando conhecido como grande protetor das Ilhas de Okinawa.

Hoje, podem ser vistos também dois pares de shisás: um tem a boca aberta e outro tem a boca fechada, representando o macho e a fêmea, na qual, um deles afasta os maus espíritos e outro atrai coisas positivas ou bons espíritos pra quem assim preferir.
Dessa forma, os leões de Okinawa se tornaram parte da cultura okinawana e passaram a ser não mais apenas objetos de proteção, pois, ganharam “vida” e atualmente são também atrações em festivais.

Aqui no Brasil, nos grandes festivais, sempre há apresentações desses leões também conhecidos como “Shishimai”. Faz toda a plateia ficar admirada com o desempenho deles e, com certeza, faz com que todos se perguntem como eles conseguem fazer aquilo, já que são pessoas que estão representando a figura desses leões.
Fontes: 
https://en.wikipedia.org/wiki/Lion_dance
http://tesouros-okinawa.blogspot.com.br/2011/01/shisa-os-leoes-de-okinawa.html

quinta-feira, 1 de junho de 2017

Lançamento! Kawanaka Miyuki - Anata to Ikiru



Confiram o mais recente lançamento da cantora Kawanaka Miyuki, a canção "Anata to Ikiru", lançado em abril de 2017. Este single foi lançado em 02 versões, a primeira entitulada "Regular Edition" e a segunda versão entitulado "CD+DVD Edition". 

Nascida em dezembro de 1955 na provincia de Osaka, a cantora Kawanaka Miyuki completa 40 anos de carreira em 2017. Com 24 participações no show de final de ano Kouhaku Utagasen e 62 singles lançados, a cantora Kawanaka Miyuki se consagra uma das mais belas vozes da música enka e também uma das mais cantadas nos karaokes no Brasil.