sexta-feira, 31 de março de 2017

Lançamento! Yamaguchi Hiromi - Tsui no Koi Uta


Confiram o mais recente lançamento da cantora Yamaguchi Hiromi, a canção "Tsui no Koi Uta", lançado em março de 2017. Este single comemora os 15 anos de carreira da cantora. Este single foi lançado em duas versões, a primeira "Regular Edition" e a segunda versão "DVD Edition".



quarta-feira, 29 de março de 2017

Curiosidades! Superstições Japonesas


O Japão e um país cheio de superstições, existem milhares, e os japoneses levam elas muito a sério. Neste artigo veremos algumas das superstições japonesas, algumas até bizarras e sem sentido para nós.
  • Começaremos com algumas superstições que acreditam trazer azar. 
  • O número 4 e suas variantes são ruins, dão azar por se pronunciar shi 死- que significa Morte.
  • O número 9, também, representa azar, por que sua pronúncia e ku (黒) que lembra preto (kuro) e sofrimento (苦しみ・kurushimi);
  • Furar a comida com hashi (pauzinhos) e deixá-los em pé, dá azar. Por que eles fazem isso com os mortos.
  • Dormir com a cabeça para o norte, atrai a morte, por que os mortos são enterrados com a cabeça para o norte.
  • Cortar as unhas de noite, dizem que também atrai a morte.
  • Assobiar e tocar flautas a noite, atrai cobras e fantasmas.
  • Soluçar 100 vezes seguidas você morre.
  • Ao entrar em um funeral, jogue sal sobre o ombro, pois isto afasta a morte e os espíritos para longe de você.
  • Cruzar com Corvos e Gatos pretos são sinal de mal agouro.
  • Nunca passe comida de seu hashi para o prato de outra pessoa e nem fique batendo o hashi no prato. Isso também e feito no funeral.
  • Nunca escreva seu nome com tinta vermelha, sugere que sua vida será cortada em breve.
  • Não deixe arroz sobrar no prato, você pode ficar cego.
  • Se você deitar após comer, você vai virar uma vaca.
  • Ver uma aranha de manha da sorte, e a noite da azar.
  • Se você ouvir um trovão, deve esconder o umbigo, se não o deus vai comer o seu umbigo.
  • Se passar um carro fúnebre por perto, esconda o polegar, pois se não algo ruim pode acontecer aos pais.
  • Se um mendigo vier à sua porta, você deve salgar a entrada da sua porta, caso contrário, terá má sorte como infortúnios financeiros em seu lar.
  • Não deve tirar fotos nós túmulos que isso atrairá má sorte, e você estará perturbando o repouso dos mortos.
  • Se o geta (calçado de madeira japonês) se partir no meio é sinal de má sorte.
  • Dizem que nas fotos de 3 pessoas, a que aparece no meio morre primeiro.
  • Espelho rouba a alma, não deve ser colocado espelho em direção a cama.
  • Dias 1 e 15 do calendário lunar, não se devem ter relações sexuais.
  • Traz azar responder a uma pessoa que fala enquanto dorme.
  • Jamais coma enguia com “umê” em conserva (ou “tenpurá” com melancia).
  • Estrear sapatos novos a noite da má sorte.
  • Se comer mochi (bolinhos de massa de arroz) ou osechi ryori (prato especial de ano novo) no ano novo, terá longevidade.
  • Não pisar nas bordas do tatame, da azar. Estique mais o pé e evite este local!
Algumas superstições benéficas. 
  • Comer alga marinha faz aumentar o cabelo.
  • Beber leite incha o peito.
  • Quem escuta música clássica quando criança vira um gênio.
  • Um papel ou madeira oculto na roupa, traz sorte, se for mantido próximo ao corpo, o tempo todo.
  • Um bom presságio é um passarinho defecar em sua cabeça.
  • Tipo sanguíneo identifica as qualidades da pessoa.
  • Se os talos ou as folhas de chá flutuarem verticalmente, terá sorte, porém é algo difícil de acontecer.
  • Se encontrar uma pele de cobra durante um passeio no campo, guarde na carteira. Traz sorte e fortuna.
  • O 7 é um número de sorte sagrado para os japoneses, assim como muitas outras culturas.
Existem diversos tipos de superstições no Japão, além de crenças, mitos e amuletos. Neste artigo vimos brevemente algumas superstições, quem sabe futuramente teremos outro artigo similar.

Fonte: http://skdesu.com/supersticoes-japonesas/

Lançamento! Asami Chiyuki - Dasanai Tegami wo Kaitemasu

Confiram o mais recente lançamento da cantora Asami Chiyuki, a canção "Dasanai Tegami wo Kaitemasu", lançado em fevereiro de 2017. Este single comemora os 15 anos de carreira da cantora. Confiram os videos das duas faixas do single.



terça-feira, 28 de março de 2017

Evento! Akimatsuri 2017 - Mogi das Cruzes(SP)




Não perca o 32º Festival de Outono 🍁AKIMATSURI 🍂 em Mogi das Cruzes! O tradicional evento japonês acontecerá em dois finais de semana, e neste ano o tema é simbolizado pela palavra "Kibou" que em japonês significa esperança.

A programação está repleta de atrações, incluindo shows musicais, dança e taikô, performances folclóricas da cultura japonesa, exposição de produtos agrícolas, culinária japonesa, cerimônia tooro nagashi, entre outros. O Akimatsuri é um dos maiores eventos da cultura japonesa no Brasil. O Akimatsuri conta também com uma ampla Praça de Alimentação com diversidade de pratos orientais, um  Centro de Negócios com 130 estandes, divididos entre os setores automotivos, de prestação de serviços, alimentação, mini-shopping e exposição agrícola.

Neste ano irei me apresentar em duas datas, dia 01/04 às 16:30h e dia 09/04 às 17h. No primeiro dia do festival, dia 1ª de abril, às 16h30, com a participação especial da cantora Debora Iha, da artista Beatriz Hikaru e do Taiko Infantil – Grupo Mary Nishimura. Já no dia 9, às 17 horas, com o Grupo Kiendaiko Taiko, de São Bernardo do Campo, com o Hanabi Soran (grupo de dança) e das alunas da Academia Corpus Line, de Mogi das Cruzes.

Em ambos os dias, levarei uma seleção de músicas que possuem significados de alegria e esperança, assim como o tema da edição do Akimatsuri deste ano, que é simbolizado pela palavra “Kibo”, esperança em japonês.

Confiram a minha entrevista para o jornal "O Diário de Mogi", publicado no ultimo dia 26, sobre a minha participação no Akimatsuri 2017: http://odiariodemogi.com.br/palco-do-akimatsuri-tera-60-atracoes/
 
Dias 1, 2, 8 e 9 de abril de 2017 
Sábados das 10h às 22h e domingos das 10h às 21h.
Local: Centro Esportivo Bunkyo de Mogi das Cruzes
Av. Japão, 5919 • Porteira Preta • Mogi das Cruzes/SP
Mais informações: (11) 4791.2022

Confira as atrações e mais informações em nosso website: 

Compre seu ingresso online com segurança e praticidade:

Lançamento! Natsuki Ayako - Yuki Mai Sakura

Confiram o mais recente lançamento da cantora Natsuki Ayako, a canção "Yuki Mai Sakura", lançado em março de 2017. Este single comemora os 25 anos de carreira da cantora.

quarta-feira, 22 de março de 2017

Lançamento! Amano Ryo - Otoko Banka ~mini album version


Confiram o mais recente lançamento do cantor Amano Ryo, o Mini Album "Otoko Date", que contém 06 faixas ineditas do cantor. Natural da provincia de Saitama. o cantor Amano Ryo faz parte da nova geração da música enka. Além de cantor do estilo enka, ele também é interprete do estilo tradicional minyo e também é dançarino. Fã de diversos estilos musicais, atualmente ele tem divulgado principalmente o estilo enka mais tradicional. Neste Mini Album lançado em dezembro de 2016, o cantor traz 06 faixas, das quais trazemos hoje 04 delas. Na sequência, temos o video de seu primeiro single lançado em 2015, a canção "Kamisuwa no Hito".   









Evento! Comemoração dos 18 anos do Ryukyu Koku Matsuri Daiko Filial Vila Carrão (SP)


terça-feira, 21 de março de 2017

Lançamento! Toba Ichiro - Jinsei Hana Goyomi



Confiram o mais recente lançamento do cantor Toba Ichiro, a canção "Jinsei Hana Goyomi", lançado em fevereiro de 2017. Este single foi lançado em duas versões, a primeira entitulada "CD Maxi", que possui como segundo titulo a canção "Otoko no Kesshin", e a segunda versão entitulada "Especial Edition", que possue além destas duas faixas da primeira versão, os grandes sucessos "Casa Branca Good Bye" e "Otoko no Yado". Este single comemora os 35 anos de carreira do cantor.

Evento! Festival da Cultura Japonesa no Shopping Metrô Boulevard Tatuapé(SP)


O Japão é um país rico em cultura e tradição. E nada mais justo que celebrar tudo isso em uma exposição aqui, no Complexo Tatuapé. E sabe por quê? Foi firmado um tratado de amizade, Comércio e Navegação entre Brasil e Japão.

De 15/03 a 02/04, o Festival da Cultura Japonesa invade a praça de eventos do Shopping Metrô Boulevard Tatuapé com shows, oficinas e demonstrações de tradições japonesas. 

Oficinas de Origami
A famosa arte das dobraduras de papel

Oficinas de Mangá
Desenhos em quadrinho genuinamente japoneses.

Oficinas de Ikebana
Arranjos florais que deixam qualquer ambiente mais bonito.

Demonstração de Shodô
A caligrafia oriental rebuscada e feita com muito cuidado.

Demonstração de Sumiê
Pintura a carvão japonesa que aposta na simplicidade e delicadeza.

Tanabata
Corredor de bamboo no qual as pessoas penduram seus pedidos de amor, paz, dinheiro, paixão, saúde e esperança.

Curtiu? Então, venha brindar os laços de amizade dos dois países e conhecer mais um pouco da cultura japonesa aqui no Complexo Tatuapé! Confira mais informações sobre o evento:

Entrada Gratuita
Período: 15/03 a 02/04
Local: Praça de Eventos do Shopping Metrô Boulevard Tatuapé | Piso Térreo
Horário de funcionamento: De segunda a sábado, das 10h às 22h | Domingos e feriados, das 12h às 20h.

sábado, 18 de março de 2017

Lançamento! Kawano Natsumi - Ohootsuku Kaigan

Confiram o mais recente lançamento da cantora Kawano Natsumi, a canção "Ohootsuku Kaigan", lançado em março de 2017.



Lançamento! Hikawa Kiyoshi - Otoko no Zessho




Confiram o mais recente lançamento do cantor Hikawa Kiyoshi, a canção "Otoko no Zessho", lançado em março de 2017. Este single foi lançado em 03 versões, a primeira entitulada Type A contém a canção secundaria "Katabore Tonbi", a segunda versão entitulada Type B contém  a canção secundaria "Sokomade Haru ga..." e a terceira versão entitulada Type C contém a canção secundária "Chura Tabi". 

Nascido na provincia de Fukuoka em setembro de 1977, o "Principe do Enka" completa 18 anos de carreira com seu 30º single lançado em diversos prêmios em seu curriculo. O cantor Hikawa Kiyoshi é um dos artistas mais influentes na mídia japonesa da atualidade e revitalizou de uma forma geral o estilo enka, trazendo muitos fãs jovens para seus shows. Atualmente o cantor ajuda na divulgação de novos talentos como o trio Hayabusa e a cantora Iwasa Misaki que farão um show especial aqui no Brasil junto da cantora Mizumori Kaori no mês de agosto na cidade de São Paulo.   





Evento! Natsu Matsuri 2017(SP)


sexta-feira, 10 de março de 2017

Lançamento! Oka Midori - Sado no Yubue

Confiram o mais recente lançamento da cantora Oka Midori, a canção "Sado no Yubue", lançada em fevereiro de 2017. Nascida em julho de 1984 na provincia de Hyogo, a cantora Oka Midori é uma das revelações da nova geração da música enka. Em 2017 a cantora completa 15 anos de carreira e este é o seu 08º single lançado. 




Prayer For Japan! Japão marca 6 anos do Grande Terremoto de Tohoku


Hoje, 11 de março, o Japão marca 6 anos do terremoto e tsunami de Tohoku, conhecido também como o Higashi Nihon Daishinsai.

Às 14h46 do dia 11 de março de 2011, o Japão foi atingido por um terremoto de magnitude 9, o maior já registrado na história da nação e um dos 5 mais poderosos do mundo.

O epicentro foi localizado a cerca de 70 km a leste de Tohoku, na província de Miyagi, nordeste do Japão. O tremor sacudiu construções em grande parte do nordeste do país. A energia liberada pelo terremoto produziu um enorme tsunami. Uma hora após o terremoto, casas e campos em cidades localizadas na costa marítima foram destruídas por massivas e sucessivas ondas de 4 a 5 metros de altura.

O tsunami foi a causa da maioria das mortes que resultaram do desastre. Cidades inteiras foram destruídas.O tsunami também ocasionou um desastre nuclear quando a usina Fukushima Daiichi foi inundada por ondas, causando uma falha no sistema de refrigeração, seguido de um colapso do reator nuclear e a liberação de materiais radioativos.

Dezenas de milhares de pessoas foram forçadas a evacuar dentro de um raio de 20 km da área em torno do reator. A operadora da usina, a Tokyo Electric Power Company (TEPCO) disse que 45 toneladas de água radioativa foram liberadas no oceano.A TEPCO iniciou o longo e perigoso processo de desativação da instalação que poderá levar décadas e custar dezenas de bilhões de dólares.

Na última contagem, 15.894 pessoas morreram no terremoto seguido do tsunami; 2.562 desaparecidas ainda não são contabilizadas em várias cidades.

http://www.portalmie.com/atualidade/2017/03/marco-de-2011-6-anos-se-passaram-apos-o-grande-terremoto-de-tohoku/

Hoje postaremos 02 canções que foram muito lembradas naquele fatidico ano. A primeira é "Ue wo Muite Arukou", que foi gravado por vários artistas como mensagem de força e esperança à vitimas do Tsunami. A segunda canção é o "Hana wa Saku", que também foi gravado por varios artistas para arrecadar fundos às vitimas do Tsunami. É apenas uma singela homenagem às vitimas que foram levadas de forma tão brutal pelas forças da natureza e também às pessoas que sofrem até hoje as consequências desta terrivel fatalidade. 



quarta-feira, 8 de março de 2017

Especial Dia Internacional das Mulheres!


As histórias que remetem à criação do Dia Internacional da Mulher alimentam o imaginário de que a data teria surgido a partir de um incêndio em uma fábrica têxtil de Nova York em 1911, quando cerca de 130 operárias morreram carbonizadas. Sem dúvida, o incidente ocorrido em 25 de março daquele ano marcou a trajetória das lutas feministas ao longo do século 20, mas os eventos que levaram à criação da data são bem anteriores a este acontecimento. 

Desde o final do século 19, organizações femininas oriundas de movimentos operários protestavam em vários países da Europa e nos Estados Unidos. As jornadas de trabalho de aproximadamente 15 horas diárias e os salários medíocres introduzidos pela Revolução Industrial levaram as mulheres a greves para reivindicar melhores condições de trabalho e o fim do trabalho infantil, comum nas fábricas durante o período. 

O primeiro Dia Nacional da Mulher foi celebrado em maio de 1908 nos Estados Unidos, quando cerca de 1500 mulheres aderiram a uma manifestação em prol da igualdade econômica e política no país. No ano seguinte, o Partido Socialista dos EUA oficializou a data como sendo 28 de fevereiro, com um protesto que reuniu mais de 3 mil pessoas no centro de Nova York e culminou, em novembro de 1909, em uma longa greve têxtil que fechou quase 500 fábricas americanas.

Em 1910, durante a II Conferência Internacional de Mulheres Socialistas na Dinamarca, uma resolução para a criação de uma data anual para a celebração dos direitos da mulher foi aprovada por mais de cem representantes de 17 países. O objetivo era honrar as lutas femininas e, assim, obter suporte para instituir o sufrágio universal em diversas nações. 

Com a Primeira Guerra Mundial (1914-1918) eclodiram ainda mais protestos em todo o mundo. Mas foi em 8 de março de 1917 (23 de fevereiro no calendário Juliano, adotado pela Rússia até então), quando aproximadamente 90 mil operárias manifestaram-se contra o Czar Nicolau II, as más condições de trabalho, a fome e a participação russa na guerra - em um protesto conhecido como "Pão e Paz" - que a data consagrou-se, embora tenha sido oficializada como Dia Internacional da Mulher, apenas em 1921.

Somente mais de 20 anos depois, em 1945, a Organização das Nações Unidas (ONU) assinou o primeiro acordo internacional que afirmava princípios de igualdade entre homens e mulheres. Nos anos 1960, o movimento feminista ganhou corpo, em 1975 comemorou-se oficialmente o Ano Internacional da Mulher e em 1977 o "8 de março" foi reconhecido oficialmente pelas Nações Unidas.

"O 8 de março deve ser visto como momento de mobilização para a conquista de direitos e para discutir as discriminações e violências morais, físicas e sexuais ainda sofridas pelas mulheres, impedindo que retrocessos ameacem o que já foi alcançado em diversos países", explica a professora Maria Célia Orlato Selem, mestre em Estudos Feministas pela Universidade de Brasília e doutoranda em História Cultural pela Universidade de Campinas (Unicamp).

No Brasil, as movimentações em prol dos direitos da mulher surgiram em meio aos grupos anarquistas do início do século 20, que buscavam, assim como nos demais países, melhores condições de trabalho e qualidade de vida. A luta feminina ganhou força com o movimento das sufragistas, nas décadas de 1920 e 30, que conseguiram o direito ao voto em 1932, na Constituição promulgada por Getúlio Vargas. A partir dos anos 1970 emergiram no país organizações que passaram a incluir na pauta das discussões a igualdade entre os gêneros, a sexualidade e a saúde da mulher. Em 1982, o feminismo passou a manter um diálogo importante com o Estado, com a criação do Conselho Estadual da Condição Feminina em São Paulo, e em 1985, com o aparecimento da primeira Delegacia Especializada da Mulher.

Hoje, em homenagem à esta data especial, escolhemos algumas canções que tem como tema a mulher, não somente o termo mulher, mas a mulher mãe (Ganpeki no Haha), mulher Filha (Musume ni), Mulher romântica (Seto no Hanayome) e a mulher batalhadora (Chyochin no Hana). Confiram esta singela homenagem com estas 04 grandes cantoras da música japonesa!

Ganpeki no Haha ~Futaba Yuriko

Musume ni ~Shimazu Aya

Seto no Hanayome ~Koyanagi Rumiko

Chyochin no Hana ~Kawanaka Miyuki

terça-feira, 7 de março de 2017

Evento! 23º FESTA DA DÁLIA em Suzano em Prol do Ipelandia Home(SP)



No proximo dia 12/03 acontecerá nas dependências do Ipelândia Home a última semana da 23ª Festa da Dália! O evento espera aproximadamente 10 mil pessoas e contará com a apresentação de várias atrações orientais e também a venda de mudas de dália e do melhor da culinária japonesa! A festa que é organizada pela Casa de Repouso Suzano (Ipelândia Home) - filial da Associação Nipo-Brasileira de Assistência Social – Enkyo (Anbase) - e tem o apoio da Prefeitura de Suzano ocorrerá neste ano nos dias 05 e 12 de março, das 10h às 16h. 

Ainda há vagas para quem quer ir com os ônibus que a Associação disponibiliza, a contribuição é de apenas R$30,00. A excursão que terá o ponto de encontro na frente da sede da Enkyo sairá às 9h do bairro da Liberdade e retornará para a Capital, partindo de Suzano, às 16h. Já para quem preferir ir de carro, a entrada e o estacionamento no local do evento são totalmente gratuitos.

Eu, Ricardo Nakase, tenho a honra em poder me apresentar em mais uma edição desta grande e maravilhosa festa no dia 12/03 com horario previsto para às 12:30h! Neste ano com uma apresentação especial em parceria com o Hanabi Soran, Shiawase Soran e as Alunas da Academia Corpus Line de Mogi das Cruzes, faremos uma homenagem às Olimpiadas de Tokyo que acontecerá em 2020. Não percam esta oportunidade!! 

Evento: 23ª Festa da Dalia
Local: Estrada do Tani, 751, Vila Ipelandia, Suzano(SP)
Data: 05 e 12 de março
Horario: das 10h às 16h
Entrada Franca
Informações: (11) 4742-6105


Ônibus
Horário de saída: às 9h (Rua Fagundes, 121 - Liberdade - São Paulo - SP)
Horário de retorno: às 16h (Estrada do Tani, 751 - Vila Ipelândia - Suzano - SP)
Informações e reservas: (11) 3274-6590
Contribuição: R$ 30,00

Realização: Casa de Repouso Suzano (Ipelândia Home)
Apoio: Prefeitura de Suzano

segunda-feira, 6 de março de 2017

Beatificação do Samurai Takayama Ukon pela Igreja Catolica Reuni mais de 12 mil Fieis no Japão


O samurai Takayama Ukon, nascido em Haibara-cho em Nara, abandonou o estatuto para se dedicar à sua fé cristã e foi exilado para Manila, onde viveu uma vida de santidade até sua morte. Sua causa de canonização começou quando ele foi declarado um Servo de Deus . Relatórios em 2014 indicou que iria ser beatificado em algum momento de 2015. Papa Francisco assinou um decreto no dia 21 de janeiro de 2016 reconhecendo que Ukon poderia ser proclamado Beato.

Diante de 12 mil fiéis a Igreja Católica beatificou no dia 07 de fevereiro de 2017, em Osaka, o samurai Takayama Ukon, um guerreiro do século XVII que foi perseguido e condenado ao exílio por ter se convertido ao catolicismo, uma cerimônia que traz à tona um período sombrio da história japonesa.

O “Samurai de Cristo” foi beatificado na presença do arcebispo de Tóquio, Takeo Okada, e do cardeal Angelo Amato, prefeito da Congregação pela Causa dos Santos, representando o papa Francisco.

Takayama Ukon (1552 — 1615), que abandonou riquezas e posição social para se dedicar a sua fé, se noma aos 395 mártires bem-aventuras e 42 santos japoneses. Batizado aos 12 anos, pouco depois da chegada ao Japão do jesuíta espanhol Francisco Javier, Ukon era um senhor feudal (daimyo) que praticava sua religião sem ser incomodado pelo shoguns (governadores militares) até 1587, ano em que o Japão expulsou os missionários e proibiu o cristianismo.

Takayama, conhecido em todo o Japão, como mestre de cerimônia do chá e nobre guerreiro que esteve ao serviço de Oda Nobunaga primeiro e depois de Toyotomi Hideyoshi. Nascido em 1552, três anos depois que o missionário jesuíta espanhol San Francisco Javier chegou ao Japão, Takayama foi batizado aos doze anos por ordem de seu pai, um senhor feudal que havia se convertido ao cristianismo e lhe deu o nome latino De justo. 

Como "Daimiô" (Senhor feudal), seu progenitor e ele tinham grande poder e o usaram para proteger os missionários católicos que propagavam a palavra de Deus, contribuindo com sua autoridade à evangelização do Japão. Mas no final de 1614, quando o cristianismo foi finalmente proibido no Japão (haviam aproximadamente 250.000 ou 300.000 cristãos no país), ele e outros 300 católicos foram obrigados a sair de seu país para se exilar em Filipinas.

O jesuíta espanhol Pedro Morejón (1562-1634) recebeu em Nagasaki em 1614 para Takayama, que estava a caminho do exílio com sua esposa, filha, cinco netos e numerosos vassalos e servidores, expulsos por serem cristãos. Morejón-o em um retiro espiritual, enquanto se preparava o barco e reunia livros religiosos para ler. Finalmente, em 8 de novembro o navio saiu de Fukuda para Manila. Takayama, que teve que renunciar a sua posição social e suas riquezas, morreria alguns meses depois em Manila, por uma doença contraída ou agravada pela sua viagem de inverno. Pedro Morejón começou então o processo para beatifica-lo, sem saber que o cristianismo seria praticamente exterminado do Japão e proibido durante 250 anos, o que impediria documentar bem sua vida. Mas finalmente conseguiu seu sonho no último mês de fevereiro, mais de quatro séculos depois.

A cerimônia de beatificação foi presidida pelo cardeal do Vaticano Angelo Amato, quem foi organizado pelo ato em nome do Papa Francisco. Na crônica destacam-se as palavras de Yuji Takayama, descendente do samurai beatificado, que destacou que a beatificação lhe fez ver a grandiosidade de Ukon. Takayama. Além disso, na localidade de Toyonocho em Osaka, local de nascimento do samurai, foi elaborado um sake da melhor qualidade, um junmai daiginjo " com o nome de " Ukon. " e o brasão da família no rótulo para comemorar a Beatificação. A iniciativa foi promovida pelo consórcio de turismo da referida localidade.

No Japão do séc. XVI várias transformações poderiam comprometer seriamente a antiga estrutura disciplinar implantada pelos samurais. O causador de tudo isso foram os jesuítas.

O cristianismo no Japão não deu certo e foi colocado à margem da lei em 1612 pelo xogunato Tokugawa. O escritor católico Shusaku Endo, esclarece que “o Japão é um pântano porque absorve toda a sorte de ideologias, transformando-as em si mesmo, e distorcendo-as no processo de faze-lo”, e lamenta “se esse cristianismo fosse menos incorrigivelmente ocidental, as coisas poderiam ter sido diferentes”.

Mas Francisco Xavier achava do Japão, “o país do Oriente mais apropriado ao cristianismo” e criticava os chineses por não demonstrarem interesse algum do que lhes era ensinado. O interesse em catequizar os japoneses foi após o seu encontro casual com o samurai Anjirô em Malaca, na Malásia e admirou-o pela cultura. Ajirô contou a Xavier sobre o Japão. Cronologicamente, Ajirô foi o primeiro cristão japonês, batizado com o nome de Paulo de Santa Fé. Esse encontro aconteceu no mesmo período que teria encalhado nas costas de Satsuma (Kagoshima) – provavelmente no ano de 1542 – um junco de construção siamesa transportando três mercadores portugueses, entre eles Fernando Mendes Pinto a quem foi delegado a descoberta da rota para o Japão.

Quando Francisco Xavier chegou ao Japão, acompanhado de quatro cristãos japoneses encontrou um país arruinado pela Guerra dos Cem Anos, período este, conhecido por Sengoku. Os daimyos (Senhores Feudais) não se entendiam e inclusive, havia lutas entre os monastérios budistas. Lutas estas que iniciaram na metade do século X. As milícias eram formadas por leigos e sôhei – monges da categoria inferior. O governo não tolerava essas intrigas religiosas que consistiam numa ameaça. O cristianismo levado pelos jesuítas recebeu total apoio dos governantes, primeiro Nobunaga Oda e depois Hieyoshi Toyotomi. Houver conversões e construções de igrejas e de seminários.

A unificação do país era o sonho dos governantes e a amizade com os missionários era em parte motivada pelo desejo de comercializar com os navios de Macau sob o controle dos jesuítas. É bom ressaltar que tanto Nobunaga quanto Hideyoshi nutriam uma profunda antipatia ao budismo.

Numa carta de Francisco Xavier ao seu superior Inácio de Loyola, dizia que os missionários deveriam ter conhecimento de vários fenômenos do universo, pois os japoneses ansiavam saber sobre o movimento de corpos pesados, porque acontecia o eclipse solar, a chuva, a neve e os trovões. Esse contato com a cultura ocidental floresceu no Japão um rápido progresso científico totalmente absorvido pela classe dominante, a dos samurais. Os japoneses eram mestres na absorção e na sua imediata adaptação, como o desenvolvimento de uma indústria bélica: pistolas e espingardas.

O relacionamento íntimo entre os jesuítas e o governante Oda era tão cortês, que em 1582, o padre Valignano foi em missão à Roma levando consigo quatro meninos japoneses. Um fato curioso dessa viagem a passagem por Portugal: escravos japoneses pelas ruas de Lisboa. A escravidão japonesa foi proibida mais tarde pelo rei D. José I.
Início das perseguições

Os próprios historiadores não sabem concretamente porque em Julho de 1587, o generalíssimo Hideyoshi acossado de uma ira doentia determinou que os missionários não poderiam permanecer no país. Ele teria afirmado: “decidi”. Houve expulsões e destruição de igrejas, mas o decreto ficou só no papel. Os jesuítas contavam com um forte aliado: os damyos cristãos do sul. A comunidade cristã da época contava com duzentos mil convertidos, cujo número crescia assustadoramente. Hideyoshi desafiava a sua própria ordem e desfilava pelas salas douradas do Palácio de Juraku usando roupas portuguesas e um rosário. Porém a sua fúria foi maior, dez anos depois, não aceitando a provocação de um capitão espanhol que se gabava da grandeza do império espanhol e que devia em parte a ação dos missionários. Hideyoshi mandou executar na cruz 26 cristãos numa noite fria de 1597.

Nesses 70 anos de relacionamento com o cristianismo, o Japão modificou totalmente o sistema de se guerrear: antes era de homem para homem, agora, com a artilharia (lembram-se do filme Ran). Do ocidente, introduziu-se o vidro, o vinho, os óculos, o espelho, o relógio, a lã, a matemática, a geografia, a engenharia, a impressão gráfica, a metalurgia e o latim. O primeiro dicionário japonês/português foi compilado nessa época pelos jesuítas. Em suma, os governantes já estavam satisfeitos e preocupavam-se com o crescimento da influência cristã nos feudos. Boa parte dos príncipes do Sul tinham aderido a nova fé.

O japonólogo Georges Busquet esclarece que “a nova religião tornou-se o laço político dos feudais que lutavam contra o poder central que o Taiko-Sama (governante) e os sucessores se esforçavam por concentrar nas mãos”. Busquet afirma que “o nome cristão tornou-se sinônimo de rebelde… o cristianismo ameaçava criar um Estado dentro do Estado”. Além disso, os jesuítas portugueses se rivalizavam com os franciscanos espanhóis envolvendo questões políticas e pessoais.
A aristocracia cristã

O cristianismo foi acalentado por inúmeras famílias tradicionais. Uma delas foi a de Ukon Takayama, nobre e guerreiro ao serviço de Hideyoshi. Ukon construiu 20 igrejas e converteu 18 mil vassalos. Foi um dos sete discípulos do mestre Rikyu-Nanatetsu, da cerimônia-do-chá e igualmente um notável guerreiro. Quando Hideyoshi proibiu o cristianismo, pela segunda vez, ordenou que Ukon abandonasse sua fé. Ukon recusou. Hideyoshi enviou Rikyu para lhe dar mais uma chance, ao que ukon respondeu: “um verdadeiro samurai nunca muda suas decisões, mesmo que tenha que contrariar o seu Senhor”.

Expulso de suas terras, Ukon refugiou-se no sul do país e serviu ao daimyo Toshiie Maeda e novamente mostrou sua bravura numa batalha contra o clã Hojo, carregando consigo o seu brasão em forma de cruz. Indiretamente servia novamente ao seu antigo Senhor, o suserano Hideyoshi. Na batalha de Sekigahara os daimyos cristãos lutaram ao lado das forças de Hideyoshi, mas acabaram derrotados por Tokugawa.

Com Tokugawa no governo, o fim de Ukon e dos cristãos estava próximo. Ukon com 62 anos foi exilado para Luzon (atual Filipinas) onde faleceu, vítima de malária. Em vida, Ukon influenciou Tama Hosokawa a aderir a fé cristã, batizada com o nome de Gracia. Gracia Hosokawa era uma mulher inteligente e bela. A última resistência cristã aconteceu em Nagasaki, conhecida como a rebelião de Shimabara tendo à frente o samurai Shiro Amakusa.
Fim de um sonho

A inquisição foi instituída em 1640 pelo xogun Iemitsu Tokugawa quando se iniciou uma perseguição aos cristãos. Nos templos budistas cadastravam-se o nome e o endereço de todos os seus fiéis, como uma forma de controle sobre a população. Torturas físicas e psicológicas foram insufladas contra os cristãos. A coação psiclógica era a que mais doía. Os inquisidores criaram o fumiê, que consistia em obrigar os cristãos a calcarem o pé da imagem de Cristo ou da Virgem, apostatando-se de sua fé.

A maior vitória dos inquisidores foi o padre Ferreira apostatar-se e passando para o lado dos seus acólitos entregou os seus antigos companheiros. Três mil mártires foram feitos e outros apostataram-se. No auge do cristianismo no Japão, havia 700 mil adeptos, quase a população atual de japoneses e de seus descendentes no Brasil.

O cristianismo no Japão foi um sonho – ou um pesadelo – que os japoneses não dão muita importância. Fica aqui a inquietação de Endo: “se o cristianismo não fosse tão ocidental…”.
Cronologia dos Cristãos Japoneses
1541 Francisco Xavier chega a Goa – Índia.
1542 Fernão Mendes Pinto desembarca no Japão acompanhados de dois mercadores. São os primeiros europeus a entrar no país.
1549 Francisco Xavier chega ao Japão.
1551 Xavier deixa o Japão.
1573 O general Nobunaga Oda depõe o xogunato Ashigaka e inicia a era Azuchi Momoyama.
1582 Mensageiros japoneses no Vaticano. Oda é traído e morto, assume Hideyoshi Toyotomi.
1587 O cristianismo é proibido, mas fica só no papel.
1590 Volta dos mensageiros ao Vaticano e introdução da imprensa gráfica.
1591 Publicação do “Heike-monogatari” e “doutrina Cristã”.
1593 Os Franciscanos chegam ao Japão e iniciam atrito com os jesuítas.
1596 Nova perseguição aos cristãos.
1597 Martírio dos 26 cristãos.
1598 Morte de Hideyoshi.
1600 Batalha de Sekigahara e derrota dos aliados de Hideyoshi.
1603 Ieyasu inicia o xogunato Tokugawa – a Era Edo.
1609 Início do comércio com a Holanda.
1612 Cristianismo é colocado fora de lei.
1613 Início do comércio com a Inglaterra.
1614 Expulsão de 148 cristãos para Manila e Macau, entre eles se encontrava o fidalgo Ukon Takayama.
1615 Queda do Castelo de Osaka, o último reduto de Hideyoshi.
1616 Morte de Ieyasu.
1623 Morte de Hidetaka e assume Iemitsu. Perseguição e matança aos cristãos que não se converteram.
1638 Revolta de Shimabara e expulsão dos portugueses.
1639 Fechamento dos portos japoneses.
1640 Instituição oficial da Inquisição.
1664 O governo estimula a conversão e o cadastramento dos convertidos nos templos budistas.
1792 Fim da Inquisição.
1873 Reconhecimento do cristianismo.


Poucos sabem que a Igreja Católica tem 26 santos japoneses. E pouquíssimos sabem quem foram eles. Para resgatar uma parte da história e homenagear essas pessoas, todas elas mártires, ou seja, eles perderam a vida por não desistirem da sua fé, levantamos essas informações especialmente para este site.

O missionário espanhol Francisco Xavier chegou ao Japão em 15 de agosto de 1549 e começou a difundir o cristianismo no país. O xógum Toyotomi Hideyoshi, general de guerra e quem mandava no país de fato, sabendo que Filipinas havia se tornado propriedade da Espanha depois que sua população foi catequizada, resolveu proibir, primeiro, a vinda de novos missionários, e depois, a prática do cristianismo no Japão. Logo depois, mandou perseguir aqueles que continuavam praticando a religião contra a sua ordem. E, em 5 de fevereiro de 1597, os 26 religiosos foram executados em Nagasaki, após serem capturados em Kyoto, caminharem a pé até Nagasaki e ficarem crucificados. A população de Nagasaki, de 4 mil pessoas à época, assistiu comovida a execução e o missionário português Luiz Froes escreveu e transmitiu o fato que se propagou pelo mundo. Conheça agora os mártires, e observe que 20 eram japoneses e 6 não:

Quem foram os 26 mártires

1 – Francisco Kishi – Natural de Kyoto, era carpinteiro e havia sido batizado há oito meses. Não havia nada contra ele, mas resolveu acompanhar o grupo de mártires.

2 – Cosme Takeya – Natural de Owari (hoje Aichi), era artesão de espadas. Ele foi batizado por jesuitas e trabalhou na catequização com os franciscanos de Osaka. Tinha 38 anos.

3 – Pedro Sukejiro – Jovem de Kyoto, atendendo ao pedido do padre Organtino, foi ajudar os mártires em seu caminho para Nagasaki, e decidiu ser executado junto com eles.

4 – Miguel Kozaki – Natural de Ise (hoje Mie), era carpinteiro e ajudou a construir conventos franciscanos de Kyoto e Osaka. Era pai de Thomas, morto com ele.

5 – Diego Kisai – Natural de Bizen (Okayama), ingressou oficialmente na Jesus Kai (Companhia de Jesus) no dia do seu martírio. Quando foi atingido pela lança da execução, ele teria dito os nomes de Jesus e Maria. Tinha 64 anos. Obs. Em japonês está escrito “Diego”, mas na tradução para o inglês, esse nome aparece como Jacob ou como James. Como os jesuitas eram portugueses ou espanhóis, “Diego” está correto.

6 – Paulo Miki – Natural de Tsukunomi, Osaka, foi educado em escola de jesuitas de Azuchi (onde fez parte da primeira turma de seminaristas) e de Takatsuki. Ingressou em 1585 na Jesus Kai. Tinha 33 anos.

7 – Paulo Ibaraki – Natural de Owari (Aichi), pertencia a uma família de samurais. Junto com seu irmão Leon Karasumaru, ajudava os pobres e os doentes. Abandonou os privilégios da família e foi ser padre na Francisco Kai (Ordem Franciscana). Tinha 54 anos.

8 – João Goto – Natural das Ilhas Goto (Nagasaki), tinha pais cristãos. Havia estudado em Nagasaki e Shiki (Kumamoto) e era padre. Ingressou na Companhia de Jesus momentos antes de sua morte. Tinha 19 anos.

9 – Luis Ibaraki – Natural de Owari (Aichi), era sobrinho de Paulo Ibaraki e de Leon Karasumaru. Estava em treinamento na Ordem Franciscana para ser padre, e embora não estivesse na lista dos perseguidos, ele próprio pediu para ser levado à morte junto com os demais religiosos. Tinha apenas 12 anos. Obs. Aparece também com o nome de Ludovico (do latim Ludovicus).

10 – Antonio (sobrenome ignorado) – Natural de Nagasaki, de pai chinês e mãe japonesa. Se preparava para ser padre na Jesus Kai quando foi levado para Francisco Kai de Kyoto pelo frei Martino, para estudar junto com outras crianças. Tinha 13 anos.

11 – Pedro Batista – Natural de Sant Esteban del Valle, na Espanha era o Superior da Ordem Franciscana (Francisco Kai). Chegou ao Japão em 1593 como embaixador das Filipinas (ocupadas pela Espanha). Construiu uma igreja e um hospital. Tinha 50 anos.

12 – Martino de la Ascenção – Natural de Guipuzcoa, Espanha. Fazia pouco tempo que Martino estava no Japão. Ele estudava o idioma enquanto trabalhava. Era missionário em Osaka quando foi capturado. Tinha 30 anos.

13 – Filipo de Jesus – Natural do México, era da Ordem Franciscana e seguia a vocação religiosa em seu país. Estava de passagem pelo Japão quando foi capturado. Consta que foi o primeiro a perder a vida dentre os executados. Tinha 24 anos.

14 – Gonzalo Garcia – Português natural de Vasai na Índia. O pai era português e a mãe indiana. Comerciante e catequista em Macau (possessão portuguesa na Índia), foi braço direito de Pedro Batista. Tinha 40 anos.

15 – Francisco Blanco – Natural de Monterrey, Galícia, Espanha. Era franciscano e veio ao Japão com Martino de la Ascenção. Aprendeu japonês em Kyoto e em poucos meses conseguiu ouvir confissões em japonês. Tinha 26 anos.

16 – Francisco de São Miguel – Natural de Valladoid, Espanha, era da Francisco Kai onde ingressou jovem. Chegou ao Japão com Batista, e foi amigo dos pobres e doentes. Tinha 53 anos.

17 – Matias (sobrenome ignorado) – Natural de Kyoto, a casa da sua família ficava perto do convento dos franciscanos. A perseguição aos cristãos começou logo depois que ele foi batizado e ele não estava entre os procurados, mas quando os soldados foram buscar um outro Matias, ele disse: “Eu sou Matias e sou cristão”, para ser preso no lugar do outro.

18 – Leon Karasumaru – Natural de Owari (Aichi), irmão de Paulo Ibaraki, era missionário da Francisco Kai e atuava na igreja e no hospital de Kyoto, onde era chamado de “missionário de Deus”. Tinha 48 anos.

19 – Bonaventura – Natural de Kyoto. Batizado quando criança, ele logo perdeu a mãe e foi enviado a um mosteiro budista. Um dia, ele soube que tinha sido batizado cristão e foi ao Francisco Kai onde estudou religião.

20 – Tomas Kozaki – Nasceu eu Ise. Filho de Miguel Kozaki, auxiliava o padre Martino e aguardava o momento de se tornar missionário. Reencontrou o pai em Kyoto. Deixou uma carta para sua mãe que dizia: “Querida mãe. Agora eu estou escrevendo esta carta com a graça de Deus. Nós todos somos em 24 pessoas e estamos indo para Nagasaki, onde seremos executados. Nos reencontraremos no céu um dia. Mesmo que não haja um padre, se praticou algum delito, se houver um profundo arrependimento, será salva. Eu espero que você cuide dos meus irmãos, e mande lembranças aos meus conhecidos” Dia 19 de janeiro, Castelo de Mihara. Tinha 14 anos.

21 – Joaquim Sakakibara – Natural de Osaka, era estudante de medicina. Se identificou com a pregação dos missionários e foi batizado. Ajudou a construir uma igreja em Osaka e trabalhou para os pobres e doentes. Tinha 40 anos.

22 – Francisco – Natural de Kyoto, era médico e trabalhou com o senhor feudal Sorin Otomo, de quem ganhou um rosário, que ele guardou com muito carinho. Ele foi batizado em Kyoto, participava da Francisco Kai. e ajudava no hospital Jesus. Tinha 46 anos.

23 – Tomas Dangi – Natural de Ise, tinha uma farmácia em Osaka. Foi Leon Karasumaru que o levou ao catolicismo e fez parte da primeira turma de missionários da Francisco Kai. Diziam que ele tinha um grande senso de justiça. Tinha 36 anos.

24 – João Kinuya – Natural de Kyoto, era especialista em tecidos. Foi o irmão cristão que levou João a entender o cristianismo. Teve muito contato com os missionários estrangeiros, se interessou e foi batizado. Tinha 28 anos.

25 – Gabriel – Natural de Ise, foi convertido pelo padre Gonzalo e participava da Francisco Kai, onde passou a ajudar no trabalho junto aos missionários. Ao ver a sua dedicação, seus pais também se converteram cristãos. Tinha 19 anos.

26 – Paulo Suzuki – Natural de Owari, foi batizado aos 13 anos e participava da Francisco Kai e ajudava no hospital São João de Kyoto. Como atuava como intérprete, os missionários estrangeiros o ajudaram a se tornar um missionário. Tinha 49 anos.

Todas essas 26 pessoas foram crucificadas como Cristo e depois alvejadas por flechas. O xógun Hideyoshi queria, com isso, mostrar à população o que acontece com as pessoas que desobedecem às suas ordens e eliminar a possibilidade dos espanhóis virem a tomar o poder no país.

Em 1637, durante o período Edo, começou a revolta dos camponeses, na maioria cristãos, em Nagasaki, e o líder era um garoto católico “predestinado”. Tudo isso levou o cristianismo a ser totalmente proibido no Japão. Entretanto, quando uma missão européia visita o Japão, em 1865, encontra um grupo de “kakure Kuristan”, ou cristãos escondidos. A religião ficou escondida por 250 anos, mas continuou sendo praticada. Mas esses são assuntos para as próximas matérias!

Evento! 02º Saa~ Hajimeyou! Mariko Nakahira (SP)


domingo, 5 de março de 2017

Lançamento! Kurokawa Shunichiro - Jinsei Sakaba

Confiram o mais recente lançamento do cantor Kurokawa Shunichiro, a canção "Jinsei Sakaba", lançado em fevereiro de 2017. Natural da provincia de Shizuoka, o cantor Kurukowa Shunichiro faz parte da nova geração da música enka, que vem se renovando com grande intensidade ultimamente. Ele completa 14 anos de carreira em 2017 com seu 11º single lançado.

Curso Semi-Intensivo da Aliança inicia aulas em março e abril! (SP)



A Aliança Cultural Brasil-Japão oferece mais uma oportunidade para quem quer realizar o sonho de falar japonês! As turmas do curso Semi-Intensivo começam em março e abril!

As aulas trazem uma metodologia dinâmica, criada para estimular o aluno a falar japonês desde o primeiro dia do curso, e também ampliar seus conhecimentos sobre a cultura japonesa e sobre a cultura brasileira.

Para quem não conhece direito a Aliança, os cursos de japonês da entidade adotam a metodologia “ MARUGOTO”, que significa “o todo”, “que envolve tudo”, seguindo o padrão curricular e métodos de avaliação baseados no JF Standard for Japanese-Language Education da Fundação Japão. O material didático escolhido é o “Marugoto Língua e Cultura Japonesa”, elaborado pela Fundação Japão e aplicado no mundo todo.

Quando o aluno inicia o estudo do idioma, sem conhecer previamente a língua japonesa, ele começa pelo curso Introdutório Katsudo (Atividades), que busca a ênfase na oralidade, incentivando o aluno a se expressar em japonês e a refletir sobre as diferenças culturais entre Brasil, Japão e outros países.

Confira abaixo as novas turmas abertas:

PERÍODO
DIA DA SEMANA
HORÁRIO
UNIDADE
04/03 a 24/06
Sábado
14h30 às 18h00
São Joaquim
04/04 a 27/06
Terça e quinta
09h00 às 11h15
São Joaquim
03/04 a 26/06
Segunda e quarta
14h00 às 16h15
São Joaquim
03/04 a 26/06
Segunda e quarta
19h00 às 21h15
Vergueiro


“O mundo está se abrindo para as pessoas que falam a língua japonesa, especialmente para os jovens, em diversas áreas, como para aqueles que almejam uma bolsa de estudos e aperfeiçoamento no Japão. As entidades oficiais do governo japonês no Brasil tem direcionado um maior número de vagas para estudantes brasileiros, e a melhor forma de estar apto para essas oportunidades é aprender o idioma japonês com qualidade. A Aliança tem a credibilidade do ensino do idioma, um método de ensino inovador e professores altamente qualificados. Por isso, convidamos a todos para estudar japonês e enriquecer o seu currículo na Aliança!”, convida o presidente da Aliança, dr. Yokio Oshiro.

A Aliança, fundada em 1956 pelo poeta Guilherme de Almeida, comemorou 60 anos em 2016, sempre investindo na educação e na cultura para formar cidadãos globalizados e conscientes, preparados para o mundo contemporâneo. Não perca essa oportunidade e faça uma viagem pelo Japão que espera por você, aqui na Aliança!

* Valores em reais
** Valor do material (R$ 158,00) não incluso no valor do curso

Informações:

Aliança Cultural Brasil-Japão – Unidade Vergueiro
Rua Vergueiro, 727, 5º andar, Liberdade, São Paulo – SP
(11) 3209-6630
vergueiro@aliancacultural.org.br

Aliança Cultural Brasil-Japão – Unidade São Joaquim
Rua São Joaquim, 381, 6º andar, Liberdade, São Paulo – SP 
(11) 3209-9998 
saojoaquim@aliancacultural.org.br

http://www.acbj.com.br/index.php/semi2017_1sem/

sábado, 4 de março de 2017

Lançamento! Kawanaka Miyuki - Tsugaru Sakura Monogatari

Confiram o mais recente lançamento da cantora Kawanaka Miyuki, a canção "Tsugaru Sakura Monogatari", lançado em fevereiro de 2017. Este é o seu 60º single lançado e comemora os 40 anos de carreira da cantora. Nascida em dezembro de 1955 na provincia de Osaka, a cantora Kawanaka Miyuki encanta pela sua simpatia e pelo rosto sempre sorridente.



quinta-feira, 2 de março de 2017

Evento! Casa das Rosas realiza mostra de cinema japonês ao ar livre em São Paulo


Uma ótima maneira de se aproximar de uma cultura diferente é conhecer a produção audiovisual do país em questão. Com este objetivo, pela primeira vez a Casa das Rosas apresenta em seu jardim a Mostra de Cinema Japonês: Especial Anime de Makoto Shinkai.

Realizadas em parceria com a Fundação Japão, as exibições acontecem nos dias 7 e 21 de março, 4 e 18 de abril (quinzenalmente às terças-feiras), sempre às 19h30. A entrada é gratuita.

Durante a mostra, o público tem a oportunidade de conhecer o trabalho do diretor Makoto Shinkai que, ao contrário da maioria dos diretores clássicos de animes, sempre trabalhou com computador. Entre as peculiaridades de seu estilo destacam-se técnicas de iluminação e movimentação da câmera, além da abundância de recursos de fotografia e flashes.

São exibidos quatro filmes na mostra: "O Lugar Prometido em Nossa Juventude" (2004), "5 Centímetros por Segundo" (2007), "Em Busca das Estrelas" (2011) e "O Jardim das Palavras" (2013).

Confira a programação completa e saiba mais sobre os títulos:

7 de março às 19h30

O Lugar Prometido em Nossa Juventude (Kumo no Mukou, Yakusoku no Basho)
2004 | 91 minutos | Animação | Legendado
Elenco (vozes): Hidetaka Yoshioka, Masato Hagiwara, Yuuka Nanri
Hiroki e Takuya moram em Aomori e são estudantes do ensino fundamental. Atraídos pela colega Sayuri, ambos ficam intrigados pela misteriosa torre erguida do outro lado da fronteira do Estreito de Tsugaru, em Hokkaido. Os meninos prometem a Sayuri voar até esta torre a bordo de um avião construído por eles mesmo.

21 de março às 19h30

5 Centímetros por Segundo (Byôsoku 5 Senchimêtoru)
2007 | 63 minutos | Animação | Legendado
Elenco (vozes): Kenji Mizuhashi, Yoshimi Kondo, Satomi Hanamura, Ayaka Onoue
O filme narra a história de Takaki, Akari e seus amigos. Ao retornar para Tóquio, Akari recebe a notícia que Takaki deve se mudar. Mesmo com a entrada de outras pessoas em sua vida, Takaki não esquece Akari e passa a imaginar se um dia terá a chance de encontrá-la novamente.

4 de abril às 19h30

Em Busca das Estrelas (Hoshi wo ou Kodomo)
2011 | 116 minutos | Animação | Legendado
Elenco (vozes): Hisako Kanemoto, Miyu Irino, Kazuhiko Inoue, Sumi Shimamoto
Uma história de amadurecimento, que envolve o amor da jovem Asuna, que tem o hábito de passar seus dias escutando uma música misteriosa. Até que certo dia, ela conhece Shun, um rapaz com quem parte em uma viagem de aventuras para entender as belezas e as crueldades do mundo.

18 de abril às 19h30

O Jardim das Palavras (Kotonoha no Niwa)
2013 | 46 minutos | Animação | Legendado
Elenco (vozes): Miyu Irino, Kana Hanazawa, Fumi Hirano, Gou Maeda, Yuka Terasaki, Suguru Inoue
Takao é um estudante de ensino médio que almeja se tornar um artesão de sapatos. Para se dedicar a este sonho, ele falta às aulas em dias chuvosos para ficar no jardim japonês do parque desenhando calçados. No local, Takao passa a encontrar Yukino, uma mulher misteriosa do qual deseja produzir um par de sapatos que a faça caminhar e encontrar o seu caminho.

Mostra de Cinema Japonês: Especial Anime de Makoto Shinkai
Casa das Rosas 
Avenida Paulista, 37 Bela Vista - Centro São Paulo - SP (11) 3285-6986 | (11) 3288-9447 
Estação Brigadeiro (Metrô - Linha 2 Verde)

https://catracalivre.com.br/sp/agenda/gratis/casa-das-rosas-realiza-mostra-de-cinema-japones-ao-ar-livre/

quarta-feira, 1 de março de 2017

Lançamento! Shimazu Aya - Inochi no Baton/ Kaeranchayouka~live version~

Confiram o mais recente lançamento da cantora Shimazu Aya, a canção "Inochi no Baton", lançado em janeiro de 2017. Nascida em março de 1971 na provincia de Kumamoto, a cantora Shimazu Aya comemora 31 anos de carreira em 2017 como umas das mais expressivas representantes da música enka. Com 56 singles lançados e 03 participações no show de final de ano Kouhaku Utagasen, a cantora impressiona pela versatilidade. Em seus shows ela interpreta desde músicas do estilo, enka, new enka, j pop e até mesmo musicas internacionais. O segundo titulo do single é sua famosa canção "Kaeranchayouka", lançado originalmente em 2004 e que marcou seu retorno ao palco do Kouhaku Utagasen em comemoração aos 30 anos de carreira da cantora.  





Evento! Sanshin no Hi na Associação Okinawa de Campo Grande(MS)


Neste evento os amantes e aficcionados pela arte do Sanshin executarão músicas populares (minyô) e clássicas (koten) no estilo Okinawa Ken. Convidamos a todos os Associados, Amigos e Simpatizantes para prestigiarem o evento.

Ingresso: sistema motiyori (levar um prato de doce ou salgado). 
Informações: tel. (67)3383-3954 (sra. Lídia)
Local: Associação Okinawa de Campo Grande - Rua dos Barbosas, 110 - Campo Grande-MS

Ranking Oricon Março 2017


Olá amigos do Enka Mania! Para iniciarmos o mês de março de 2017, vamos trazer o Ranking dos singles mais vendidos na categoria Enka/ Kayo divulgado pela ORICON! No ranking que se refere à última semana de fevereiro, podemos ver uma mistura entre a nova geração do enka como Kitagawa Daisuke, Miyama Hiroshi, Oka Midori, e os cantores tradicionais como Toba Ichiro, Tendo Yoshimi e Otsuki Miyako. Para o mês de março, são aguardados grandes lançamentos de cantores como Mizumori Kaori e Hikawa Kiyoshi que provavelmente irão encabeçar o topo do ranking. 
01 - Hama no Blues - Kitagawa Daisuke
02 - Otoko no Ryugi - Miyama Hiroshi
03 - Kaachan no Hamauta - Fukuda Kouhei
04 - Sado no Yuubue - Oka Midori
05 - Jinsei Hana Goyomi - Toba Ichiro
06 - Tsuki Makura - Takeshima Hiroshi
07 - Yuzuki Okesa - Tendo Yoshimi
08 - Beni Hitori - Otsuki Miyako
09 - Onna no Hana Butai - Ishihara Junko
10 - Onna no Nihonkai - Nishikata Hiroyuki
11 - Jinsei Ichiban - Shimizu Hiromasa
12 - Tokachi Gento - Matsubara Nobue
13 - Dasanai Tegami wo Kaitemasu - Asami Chiyuki
14 - Hijigawa Arashi - Godai Natsuko
15 - Tsugaru Sakura Monogatari - Kawanaka Miyuki
16 - Omae no Namida - Kagami Goro
17 - Michinoku Ranpu no Yado - Sasaki Shinichi
18 - Tsugaru no Haru - Seguchi Yuki
19 - Kaze no Youna Hito - Cheuni
20 - Enoshima Zessho - Sayaka Mishiro